Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Os pontos disputados do agito gastronômico de Brasília

Um pouco acima, na 213 Norte, há boas pedidas, como o Bistrô Escondinho, uma boa surpresa no subsolo do Bloco B. O prato principal, é claro, está no próprio nome do estabelecimento, o “escondidinho”. Há com vários recheios, sete salgados e quatro doces.

Na quadra em frente, 214 Norte, há várias opções, mas uma muito interessante é o Genghis Khan, especializado em nabemonos. Trata-se de um tipo de cozinha oriental que remete à tradição de refeição comunitária consumida direto da panela. “Uma espécie de fondue de olho puxado”, foi a descrição que li no blog Os destemperados. A casa oferece três versões do prato: o Sukiyaki tradicional japonês; o Shabu Shabu, feito em água fervente e o Gengis Khan, na brasa. A panela do Genghis Khan remete ao modo da refeição dos guerreiros da Mongólia, que cozinhavam no próprio capacete.

A coluna falou recentemente de outra novidade na Asa Norte, o Le Parisien Bistrot, na 103 Norte, que veio reforçar os aromas da culinária francesa nas redondezas, perto da patisserie do Daniel Briand, endereço clássico da capital na 104 Norte.

 

<< Mais da autora: Terceiro polo gastronômico, Brasília atrai restaurantes consagrados do eixo SP-Rio

Continuar lendo