O PT fabricou um monstro

Não simpatizo com Marina Silva, jamais votaria nela ou a apoiaria para presidenta da República. Mas sempre detestei o jogo sujo na política. Então, me deixaram enojado as fortíssimas pressões de bastidores para que sua Rede fosse impugnada, com o claríssimo objetivo de inviabilizar um projeto que atrapalhava os planos petistas.

Sou revolucionário, portanto me identifico com Marx, Proudhon, Lênin, Trotsky, Rosa Luxemburgo, Gramsci, Guevara e que tais; Maquiavel sempre foi outro departamento.

E o pior é que os aprendizes de feiticeiro do Planalto acabaram fabricando um monstro: teria sido muito mais fácil enfrentar Eduardo Campos e Marina separadamente do que unidos.

Agora, com um ano de antecedência, as candidaturas viáveis já estão reduzidas a três, tornando inevitável o segundo turno. E eu não tenho dúvidas de que será o PSB, e não o PSDB, o grande adversário do PT.

Não dá para descartarmos nem mesmo a possibilidade de que a mudança do quadro obrigue os petistas a tirarem o seu maior craque do banco de reservas.

Faz muito tempo que eu não vejo um tiro pela culatra produzir tamanho estrago. Bem feito!

* É jornalista e escritor. Mantém o blog http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.

Outros textos sobre Marina Silva

Leia mais sobre eleições de 2014


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!