O povo, os partidos políticos e a gestão pública

George Hilton *

Para Hans Kelsen, a democracia indireta é aquela em que a função legislativa é exercida por um Parlamento eleito pelo povo, e as funções administrativa e judiciária, por funcionários igualmente escolhidos por um eleitorado. Assim, um governo é ‘representativo’ porque e na medida em que os seus funcionários, durante a ocupação do poder, refletem a vontade do eleitorado e são responsáveis para com este.

Como se pode perceber, a maioria dos partidos políticos ficou anacrônica e sofre de artrose severa em sua estrutura e funcionamento. Atuam com finalidade neles próprios, dissociados dos apelos e demandas do povo.

O Estado existe para atender aos desejos, às necessidades e os interesses coletivos da sociedade. Os governos fazem acontecer essas demandas por meio da administração pública, que opera a execução das políticas públicas delineadas pelo Executivo e Legislativo.

Hoje, há desencanto com a postura política e gerencial de governantes, políticos e gestores públicos, bem como a descrença nos muitos que se locupletam dos cargos que exercem e estão nele para isso mesmo. Tudo isso destrói qualquer possibilidade de apostar em algum futuro promissor para as pessoas da classe média e para os pobres.

Os últimos 30 anos fizeram florescer estruturas virtuais eficientes e eficazes para gerar transparência e unir pessoas. A primavera árabe eclodiu e já fez cair dois presidentes no Egito. O movimento Occupy Wall Street, iniciado em setembro de 2011, em Manhattan, protesta contra a desigualdade econômica e social, a ganância, a corrupção e indevida influência das empresas nos EUA. Atualmente, o movimento continua denunciando a impunidade dos responsáveis e beneficiários da crise financeira mundial. O grupo hacker Anonymous, responsável por ataques em sites de governos e também ao Facebook, afirmou que fez isso porque governos estão espionando usuários mundialmente.

Entender o que representa uma democracia pós-moderna faz-se obrigatório. Partidos políticos sempre atuarão na democracia. É por intermédio deles (ou deveria ser) que as políticas públicas se tornam realidade, assim como contribuem para manter e aprimorar a doutrina do exercício da cidadania.

O objeto que move as manifestações na atualidade é o conjunto de insatisfações e desconfiança com os serviços e cargos públicos e o conhecimento da obsolescência das gestões públicas nacionais. A massa enfurecida somente pode ser estancada pelo atendimento de seus apelos e demandas. Urge a mobilização e ação por um Brasil mais justo, mais igual e menos corrupto, aliado a menos desvios, mais ética e mais gestão eficaz da coisa pública.

 

* George Hilton, deputado eleito por Minas Gerais, é o líder do PRB na Câmara.

 

Outros textos relativos à democracia

Matérias e artigos sobre gestão pública


Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!