O impacto da pandemia nos acessos à banda larga

Pela primeira vez no ano de 2020, os dados de acessos à banda larga da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) apresentaram uma queda no número total de acessos.

Os dados referentes ao mês de setembro contabilizaram 34.980.573 ante 35.054.691, no mês de agosto.

Esses dados são divididos em prestadores de grande e pequeno porte, conforme tabela abaixo.

Tabela 1 – Total de acessos banda larga, em 2020

Fonte: Anatel

Analisando a diferença mês a mês percebemos que há uma tendência de queda dos acessos das grandes prestadoras e crescimento das pequenas, conforme apresentado na tabela a seguir.

Tabela 2 – saldo de acessos mês a mês, em 2020

Fonte: Anatel

Esse movimento de substituição acontece há algum tempo e já até comentamos aqui, sobre a força que os pequenos prestadores estão ganhando e sua relevância para a expansão do serviço de acesso à internet.

Por isso, chama atenção a queda na quantidade de acessos desse grupo, ainda mais neste momento de pandemia, em que as pessoas estão em isolamento social, com maior necessidade de acesso a rede mundial de computadores.

É verdade, que os dados são recentes e temos apenas uma foto, é preciso esperar os números dos próximos meses para entendermos se foi apenas um ajuste ou será alguma tendência.

De toda sorte, podemos especular ao menos duas situações, uma queda na renda das pessoas afetou os contratos de banda larga ou ocorreu uma substituição da banda larga fixa para a móvel.

Para entender a segunda hipótese, observamos os dados da Anatel para acesso banda larga.  Neste caso, os números são divididos por tipo de acesso, pró e pré-pago.

Tabela 3 – Acesso banda larga móvel (telefone celular), em 2020

Fonte: Anatel

Observamos que a quantidade de acessos aumentou durante o ano de 2020, totalizando um acréscimo de mais de 1,5 milhões de celulares no ano de 2020.

Mais interessante é quando observamos a distribuição entre as modalidades de pagamento da banda larga móvel, com apresentado na tabela abaixo.

Tabela 4 – Percentual de pós e pré-pago, em 2020

Fonte: Anatel

Nos dados de 2020 constatamos uma mudança histórica, com a quantidade de pós-pagos superando a de pré-pago.  São números significativos, quando verificamos que passamos de 6 milhões de telefones pré-pagos a mais em janeiro, para 1,1 milhões de pós pagos a mais em setembro.

O movimento de migração da modalidade de pré para pós pagamento parece ser uma tendência e pode indicar um maior uso da banda larga móvel pelos usuários.

Observando todo o cenário expostos, pode estar ocorrendo uma migração dos usuários da banda larga fixa para a banda larga móvel. Ou seja, o consumidor que migrava do prestador de grande porte para o de pequeno porte, agora pode estar migrando para a banda larga móvel, contratando os planos pós-pago de celular.

Os dados são recentes e, novamente, observamos apenas um mês de decréscimo, precisamos continuar observando as fotos mensais, para montar o filme e observar a mensagem que o mercado nos passará.

O texto acima expressa a visão de quem o assina, não necessariamente do Congresso em Foco. Se você quer publicar algo sobre o mesmo tema, mas com um diferente ponto de vista, envie sua sugestão de texto para redacao@congressoemfoco.com.br.

> Leia mais textos do autor.

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!