Nova crise de energia se anuncia. Culparemos de novo São Pedro?

Brasil, 1980. Naqueles dias - quando ainda frequentava os bancos escolares - recebi como ‘dever de casa’ a preparação de um breve estudo sobre o fornecimento de energia elétrica no Brasil.

>Entre Aguinaldo e Baleia, Maia tenta definir hoje seu candidato

Decidi escrever algo fundamentado - e solicitei ao meu saudoso pai, então deputado federal, que me conseguisse algum material junto ao Ministério das Minas e Energia.

Leia mais

A vacina

Chegou o dia da apresentação dos trabalhos. O meu começava pela reprodução de um gráfico preparado pelo governo federal contendo duas curvas - uma referente ao consumo e outra à produção de energia elétrica.

Observei que aquelas duas curvas se encontrariam no ano 2000 - vinte anos depois. E registrei, então, ser aquela a advertência de que naquele ano o Brasil sofreria uma séria crise no fornecimento de energia elétrica caso não fossem adotadas medidas, digamos, enérgicas.

Encerrada minha apresentação fui alvo de duros ataques. Falou-se que estudos mais sérios provavam que apenas Itaipu seria suficiente para atender todo o consumo brasileiro pelos dois séculos seguintes - uma “obra faraônica”, pois. Ouvi, com infinita tristeza, que todo aquele “besteirol” que havia exposto era simples propaganda governamental.

Vinte anos se passaram. Chegamos ao ano 2000 e seu respectivo “apagão”. Nossa economia foi duramente atingida. Segundo o Tribunal de Contas da União o Brasil teve um prejuízo de R$ 45,2 bilhões. 60% deste valor foram repassados aos consumidores através de robusto aumento nas contas, e os demais 40% saíram diretamente do Tesouro Nacional - sustentado pelos nossos impostos, registro.

Naqueles dias colocou-se a culpa em São Pedro. Sim, faltou chuva. Como trata-se de alguém há milênios no paraíso, que não concede entrevistas nem pode defender-se, foi eleito o culpado ideal. Simplesmente ‘esqueceu-se’ que tudo aquilo havia sido previsto há décadas.

Era para o Brasil ter aprendido que a ideologização de um problema dificulta sua solução. Que o estudo sereno dos problemas nacionais é algo sério demais para ficar por conta de ‘achismos’ e pronunciamentos mais ‘pirotécnicos’ que técnicos.

Mais vinte anos se passaram. Chegamos a 2020 - e ao prenúncio de nova crise no fornecimento de energia elétrica.

Adivinhe quem está sendo, uma vez mais, apontado como culpado pelo problema! Sim, é ele de novo! São Pedro!

O texto acima expressa a visão de quem o assina, não necessariamente do Congresso em Foco. Se você quer publicar algo sobre o mesmo tema, mas com um diferente ponto de vista, envie sua sugestão de texto para redacao@congressoemfoco.com.br.

> Leia mais textos do autor.

Continuar lendo