Notícias da Bahia

Emanuel Medeiros Vieira*

 

“Não se apaixone pelo Poder!”
Michel Foucault

 

A Embasa é a estatal de água da Bahia.

A empresa penalizou a população com um aumento de 13,64%, muito acima da inflação.

Um deputado pediu que o TCE  faça uma auditoria na empresa.

A Embasa aumenta abusivamente o preço da água e, ao mesmo tempo, patrocina clubes de futebol e micaretas, como as de Feira de Santana e Camaçari, além de pagar alto o cachê de Daniela Mercury para cantar na festa dos seus 40 anos.

Lembre-se que o governador Jaques Wagner é do PT.

O secretário estadual da Saúde vai para a TV e desanca os profissionais da saúde que estão em greve no Estado.

Os deputados que eram de oposição e que sempre combateram ACM, ficam calados. Desapareceram.

Ou quem sempre apoiou as greves, agora é contra!

Estão no poder!

É sempre assim: com aposentados, professores e outras categorias que deram seus votos a esses deputados.

Os dignos representantes do povo, fogem à sorrelfa (ao dicionário!).

Chega a ser surrealista: o presidente do Sindicato dos Médicos é ligado ao PCdoB,

Aliado do governo. Está à frente da greve.

Ontem, no jornal da TV Bandeirantes, quem apareceu na tela agradecendo aos médicos que não aderiram ao movimento, foi o superintendente de Atenção Básica da  Secretaria da Saúde, também do PCdoB.

Como disse o jornalista Levi Vasconcelos, agora temos o PCdoB do G (do governo) e o PCdoB do C (do contra).

Não, não é só Carnaval, festa ou acarajé.

A Bahia aparece com a maior concentração de pessoas em situação de extrema pobreza (2,4 milhões),– conforme o Ministério de Desenvolvimento Social.

A concentração de renda é um problema histórico em território baiano.

“Há três séculos que é assim: poucos têm muito e muitos têm muito pouco”, destaca o professor Elias Sampaio.

Ele acredita que um dos aspectos levantados pelo estudo da Fundação Getúlio Vargas (que aponta 43% de crescimento na renda da população negra,contra 21% dos brancos, entre 2000 e 2009), pode estar equivocado.

“O aumento de 43% pode significar a passagem de pessoas do nível de miséria para o de pobreza. É preciso conhecer os valores de renda em questão”, avalia.

É claro que a maior estabilidade na economia brasileira, vivida nos últimos 16 anos, não é o bastante para sanar os problemas decorrentes de três séculos de escravidão.


* Poeta, romancista e contista, nasceu em Florianópolis (SC) em 1945, mas vive na Bahia. Participou de diversas antologias de contos. Estreou com A Expiação de Jeruza, em 1972. Tem romances e contos editados, como Os hippies envelhecidos.


Outros textos de Emanuel Medeiros Vieira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!