FHC, o príncipe

A década de 1980 foi chamada de 'década perdida'. A de 1990 foi pior que a anterior. Na década de 1980, estávamos saindo da ditadura e o primeiro eleito pelo voto direto, em 1989 (primeira vez, aos 49 anos de idade, que votei para presidente) foi Fernando Collor de Mello.

Collor assume e passa a mão na poupança de todos os brasileiros e brasileiras. No seu curto governo, Collor coloca o primeiro pé, dizem que é o pé direito, dentro do modelo neoliberal na economia.

Cassado, assume em seu lugar o vice Itamar Franco, que chama para ministro da Fazenda o príncipe dos sociólogos, Fernando Henrique Cardoso (FHC), que, com o Plano Real, coloca o segundo pé dentro do neoliberalismo.

Pelos efeitos do Plano Real e de muita (demagogia) propaganda, o príncipe FHC ganha as eleições de 1994 e coloca o Brasil de corpo e alma (gratuitamente para os EUA) dentro do neoliberalismo. Deita nos braços do Fundo Monetário Internacional (FMI) e inicia uma agressiva política de privatizações, terceirizações e demissões.

O governo do príncipe (FHC) dos sociólogos, como é conhecido, foi um dos mais corruptos da história do Brasil. Afinal, não havia como privatizar e terceirizar tudo e ainda garantir uma reeleição em 1998 se não fosse através da corrupção.

O que se fala de corrupção do PT é ficha pequena perto do que o PSDB permitiu de corrupção. No governo de FHC (PSDB) não houve nenhuma investigação, nem CPI e nem Ministério Público para investigar. No Ministério Público, havia um procurador-geral, Geraldo Brindeiro, que engavetava tudo e a Polícia Federal, como policia, não existia.

Por ser petista, alguns podem achar que estou inventando. Não. Definitivamente não invento. É só procurar no Google que você, caro leitor ou leitora, vai encontrar mais de uma centena de casos de corrupção no governo de FHC (PSDB). Há também outras publicações que trazem inúmeros casos de corrupção dos tucanos, como o livro A privataria tucana, do jornalista Amaury Ribeiro Júnior. Mas disso tudo fico com a opinião de um filiado e militante do PSDB, Ricardo Semler.

O empresário Semler publicou na Folha de S.Paulo (jornal simpático aos tucanos) o artigo “Nunca se roubou tão pouco”. Semler começa o artigo com a seguinte afirmação: “Nossa empresa deixou de vender equipamentos para a Petrobras nos anos 70. Era impossível vender diretamente sem propina. Tentamos de novo nos anos 80, 90 e até recentemente. Em 40 anos de persistentes tentativas, nada feito”.

Nos anos 70 e parte dos 80 vivíamos sob a égide da ditadura militar. No final dos 80 e início dos 90, o período de democratização. Anos 90, período de 1995 a 2002, o Brasil foi governado pelo príncipe Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, com o apoio do PFL (agora DEM, daqui a alguns dias vai se saber como se chamará) e PMDB.

A diferença do governo do PT (Lula e Dilma) para os do período da ditadura, Collor, Itamar e FHC, segundo Semler, é que “os percentuais caíram”. Para quem não entendeu, explico: caiu o percentual da propina paga por cada contrato.

Muitos hipócritas, não importa de qual partido, que têm ido às ruas ou se manifestam nas redes sociais, se mostram indignados. Pois bem, pergunto, como Semler perguntou: “Onde estavam os envergonhados do país nas décadas em que houve evasão de R$ 1 trilhão - cem vezes mais do que o caso Petrobras - pelos empresários?”

Ah! Não sabiam. E agora que sabem, bem, “deixa pra lá”. Os casos de corrupção só estão vindo à tona agora porque há um partido, o PT, no governo, que admite, permite e quer investigações. Deu total liberdade de investigação a PF, tirou o engavetador da Procuradoria Geral da República e criou a Controladoria Geral da União.

Quem é inteligente sabe disso, por isso Semler escreve: “É ingênuo quem acha que poderia ter acontecido com qualquer presidente. Com bandalheiras vastamente maiores, nunca a Polícia Federal teria tido autonomia para prender corruptos cujos tentáculos levam ao próprio governo”.

Não é só os ingênuos que estão se deixando levar. Há o mau caráter, os de má-fé, os aproveitadores e a direita golpista (Aécio, Goldman e o próprio FHC), que, mesmo sabendo disso, querem culpar só o partido que está no governo.

Ah! A corrupção dos anos 90 (FHC) foi uma das razões para e economia ser pior que a dos anos 80.

Mais sobre corrupção

Continuar lendo