A persistência realiza o impossível

A dor da preparação para concursos é passageira, mas o cargo público é permanente. Para toda a vida profissional, se o servidor quiser. Então, não custa repetir: vale a pena fazer alguns sacrifícios para conquistar a estabilidade financeira que o emprego no Estado proporciona a quem consegue vencer a difícil maratona de um concurso.

Faço, porém, uma advertência: o candidato precisa escolher muito bem a carreira, para desempenhar atribuições que lhe tragam prazer e sejam úteis à sociedade e ao País. Se não for assim, ele se tornará um servidor público infeliz e não dará certo no trabalho. Talvez até nem seja aprovado no estágio probatório, deixando de conquistar a tão sonhada estabilidade que a Constituição garante aos titulares de cargos públicos. Para você não ter de passar por isso, preste atenção em algumas considerações que faço a seguir. Elas são fundamentais para o sucesso do atual concurseiro e futuro servidor público.

Existe um ensinamento que tem tudo a ver com o sucesso e a felicidade: "Conhece-te a ti mesmo". A máxima, que você certamente já tinha visto antes, é uma das muitas que herdamos dos gregos antigos. Embora ela tenha sido perpetuada nos estudos filosóficos de Sócrates, sua origem é atribuída a Tales de Mileto, outro expoente da antiga civilização grega. Os pensadores gregos perceberam desde logo que o homem precisa estar em harmonia consigo mesmo para desenvolver o seu potencial e construir uma vida melhor.

Para quem procura seu caminho por meio de concurso público, nada melhor do que decorar essa frase, escrevê-la em um pedaço de papel e relê-la todas as noites, antes de dormir, como um exercício de preparação para os desafios do dia seguinte. Sem o domínio do próprio ego, concurseiro nenhum consegue ser bem-sucedido em sua caminhada. “Quem sou eu?” é a pergunta-chave dessa relação do ser humano consigo mesmo. Ela o levará a vencer os desafios que se apresentarem antes da aprovação num concurso público. Em resumo, não é só o estudo das matérias do concurso mas também o domínio do próprio eu que garante a segurança e a tranquilidade interior necessárias para superar qualquer dificuldade.

Quem decide prestar concurso público é tentado a desistir inúmeras vezes, sobretudo depois de alguma – ou algumas – tentativa frustrada. Afinal, todo o esforço despendido ao longo de meses, às vezes anos, parece ter sido jogado fora quando a aprovação não vem. Nessas horas, é preciso reagir, e as forças para isso têm de ser encontradas dentro de si mesmo. É aí que entra o autoconhecimento, para dominar a frustração e o desânimo que se apossam da mente e do corpo, alimentados pela sensação de fracasso. Vencer essa etapa é um momento crítico mas possível, desde que o concurseiro disponha das ferramentas certas, como apoio familiar, leitura de obras especializadas em autoajuda e revisão de tudo o que foi feito, para excluir o que deu errado e aproveitar o que estava certo.

Não se trata de meros conselhos para levantar o moral dos concurseiros. Falo – e escrevo – de experiência própria e da vivência do dia a dia, ao longo de mais de 33 anos, no mundo dos concursos, seja como concurseiro, servidor, professor ou empreendedor. Perdi a conta de quantas vezes conheci pessoas que estavam em uma dessas fases negativas, mas acabaram superando o trauma da reprovação e alcançaram em seguida a tão sonhada vaga em um cargo público. Essas pessoas vitoriosas são aquelas que sabem transformar a perda em superação, a queda em volta por cima, o fracasso em sucesso e a derrota em vitória definitiva. O segredo para isso é conseguir reverter as fraquezas em virtudes, para se tornar uma pessoa melhor, mais capaz, mais corajosa e pronta para vencer desafios.

Espero que esses conceitos e sugestões possam ajudar a todos vocês que estão na estrada do concursos público. Um último conselho: nunca desistam. Persistam sempre, ainda que o sucesso não venha de imediato. Porque é na persistência que se separam vencedores e vencidos, os homens dos meninos. E os vencedores são aqueles que logo deixarão a vida dura de concurseiro para desfrutar a vida com estabilidade financeira.

Continuar lendo