Responsáveis pela obra de Jirau contestam acusações

Em nota, consórcio responsável pela hidrelétrica rebate as afirmações dos deputados Padre Tom e Domingos Dutra de que são inadequadas as condições de trabalho nas obras da usina

A empresa Energia Sustentável do Brasil, responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Jirau, e a Construtora Camargo Corrêa, responsável pelas obras civis, enviaram nota hoje (11) ao Congresso em Foco, na qual rebatem as informações do relatório dos deputados Padre Tom (PT-RO) e Domingos Dutra (PT-MA), de que são inadequadas as condições de trabalho na obra.

Os dois deputados do PT estiveram em Jirau numa diligência e fizeram relatório em que dizem ter constatado condições insalubres de trabalho. Tais condições é que teriam ensejado um incidente, no dia 2 de abril, em que operários se amotinaram e provocaram um incêndio nas instalações.

Deputados investigam tortura de operário de Jirau

Outros destaques de hoje no Congresso em Foco

“A Energia Sustentável do Brasil (...) e a Construtora Camargo Corrêa (...) repudiam as acusações infundadas sobre condições inadequadas no empreendimento, bem como de qualquer forma de violência e desrespeito aos trabalhadores e à legislação em vigor”, diz a nota.

Segundo a nota, as obras da usina “dispõem de completa infraestrutura de acomodações e lazer para os trabalhadores”.

O Congresso em Foco ressalta que as informações da reportagem são embasadas no relatório dos deputados, reproduzido na íntegra na reportagem, reforçado por declarações do presidente da CPI do Tráfico de Pessoas, deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), que também critica as condições de trabalho na usina, a partir do relato que recebeu dos deputados e de pessoas ouvidas por eles.

Leia a íntegra da nota:

"Nota à imprensa

A Energia Sustentável do Brasil, empresa responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Jirau, e a Construtora Camargo Corrêa, contratada para a execução das obras civis do projeto, repudiam as acusações infundadas sobre condições de trabalho inadequadas no empreendimento, bem como de qualquer forma de violência e desrespeito aos trabalhadores e à legislação em vigor.

Os canteiros de obras da Usina Hidrelétrica Jirau dispõem de completa infraestrutura de acomodações e lazer para os trabalhadores. Todos os alojamentos possuem ar-condicionado, os refeitórios funcionam 24h, as áreas de lazer são amplas e acessíveis. Os trabalhadores tem à disposição academia de ginástica, quadras poliesportivas, salas de internet, posto de serviços bancários, caixas eletrônicos, lojas de conveniência, farmácia, cinema e outras facilidades criadas para prover um ambiente amigável e seguro.

As empresas ressaltam ainda que os atos de vandalismo no canteiro, ocorridos em abril deste ano foram provocados por uma minoria que desrespeitou decisão de aprovação, feita em assembléia, para retorno ao trabalho e aceitação do acordo firmado entre empresa e representação sindical por intermediação da justiça do trabalho. Tais atos estão sob investigação policial.”

Conheça o Congresso em Foco

Continuar lendo