Popularidade de Dilma bate recorde: 75,7%

No mesmo período de seu primeiro mandato, Lula tinha 54,1% de aprovação. Os dados são de pesquisa da CNT de Opinião

A presidenta Dilma Rousseff bateu novo recorde de popularidade. A Pesquisa CNT de Opinião, feita pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada nesta sexta-feira (03/08), revela que o desempenho pessoal de Dilma é aprovado por 75,7% da população, um índice 5,5% maior do que na última avaliação.

Leia outros destaques de hoje do Congresso em Foco

Os dados foram coletados entre 18 e 22 de julho e foram ouvidas 2 mil pessoas. O resultado mostra a popularidade pessoal da presidente com um ano e meio de governo. No mesmo período de seu primeiro mandato, o ex-presidente Lula, antecessor de Dilma, tinha 54,1%, de acordo com a pesquisa CNT/Sensus na ocasião.

Em relação ao governo da presidenta, 56,6% dos entrevistados o avaliaram positivamente. No mesmo período do ano passado, Dilma contava com 49,2% de aprovação. Apenas 7% dos entrevistados avaliaram o governo como péssimo - uma redução em relação aos 9,3% contabilizados no ano passado -, e outros 35% o consideram regular. O índice dos que desaprovam o desempenho pessoal da presidenta caiu para 17,3%. Em agosto do ano passado, Dilma realizava a chamada “faxina ministerial”, em que demitiu seis ministros suspeitos de corrupção.

Dilma computa ainda outra avaliação positiva para seu mandato. O número de pessoas que acreditam que sua gestão está melhor que os dois governos Lula subiu de 11,5% para 15,9%, e diminui o índice dos que consideram o governo pior - de 45,4% para 34,6%. Para 48,2% dos entrevistados, as duas gestões estão no mesmo patamar.

Corrida presidencial

A pesquisa também simulou dois cenários para as eleições presidenciais de 2014. No primeiro quadro, com Lula candidato, o ex-presidente teria 70% das intenções de voto. Logo atrás está o senador Aécio Neves, com 11,9% e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, com 3,2%. No entanto, 15,2% dos entrevistados não responderam a esta pergunta ou disseram que não votariam em nenhum dos três candidatos apresentados.

Quando considerados apenas Lula e Aécio o petista teria 73,4% contra 15,2% as intenções de voto do tucano. Não souberam responder ou votariam branco/nulo 11,4% dos entrevistados. Já no cenário entre Lula e Eduardo Campos, a vantagem do ex-presidente aumenta. Ele teria 76,1% e o governador ficaria com 8,7%. Não souberam responder ou votariam branco/nulo 15,2% dos entrevistados.

No segundo cenário, sem Lula na disputa, a presidenta Dilma lideraria o pleito com 59% da intenção de votos. Aécio fica em segundo lugar, com 14,8% e Eduardo Campos vem em terceiro com 6,5%.  Quando considerados apenas os nomes de Dilma e Aécio, a petista também ficaria na frente. Ela teria 63,8% contra 21,5% do tucano. Neste cenário, não souberam responder ou votariam branco/nulo 14,6% dos entrevistados.

Já na disputa entre Dilma e Eduardo Campos a petista teria 69,1% das intenções de votos contra 12,4% de Campos. Não souberam responder ou votariam branco/nulo 18,6% dos entrevistados.

Crise econômica

A pesquisa também questionou a população sobre temas como saúde, emprego e educação, além do poder de compra, expectativa sobre os rumos da economia e reformas prioritárias para o país. Sobre a crise econômica mundial, 38,4% dos entrevistados revelaram que diminuíram as compras e estão preocupados com o atual cenário, enquanto 60,8% disseram não ter alterado a rotina de compras. Os principais desejos de consumo dos brasileiros são a casa própria (57%), o carro novo (17,9%), móveis e eletrodomésticos (8,25), viagem internacional (7,4%) e televisão moderna (1,9%).

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!