Eleições afastarão PT do PSB, diz cientista político

Na avaliação de David Fleischer, as eleições municipais produzirão efeitos que poderão alterar a composição das alianças no pleito presidencial de 2014, diz Vasconcelo Quadros, na Coluna Esplanada

Vasconcelos Quadros

Efeitos eleitorais
O cientista político David Fleischer, da UNB, acha que as eleições deste ano vão promover um rearranjo com profundo reflexo no quadro sucessório de 2014. Um deles é o possível racha na aliança nacional entre PT e PSB. O outro é o fim do DEM, que deve se fundir ao PSDB ou ao PMDB. Com o PSB mais encorpado pelas eleições, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos poderia se sentir estimulado a disputar a sucessão de Dilma, embora sua pretensão ao Planalto seja para 2018. “O PSB vai expandir sua base de apoio”, prevê Fleischer.

Universal
O líder da Igreja Universal, Edir Macedo, ficou animado com os números da pesquisa Datafolha, que põe Celso Russomano em empate técnico com José Serra. Resta saber se o apoio dos fiéis e a força da TV Record serão suficientes para fazer frente às máquinas estadual e municipal a favor de Serra.

Procura-se
A cúpula petista está tentando encontrar as razões para Haddad não ter decolado nas pesquisas. Uma sondagem interna foi encomendada para descobrir o mistério.

Preferidas do consumidor
Ranking do Ministério da Justiça mostra que 55% das 861.218 reclamações registradas pelo consumidor no primeiro semestre do ano são contra a telefonia celular. Pela ordem, 37,56% das queixas são por descontentamento envolvendo serviços da Claro; 15,19%, Vivo; 14,55%, Tim; e, 14,44% Oi.

Comunidade solidária
O gesto solidário da presidente da SBPC, Helena Nader, evitou que os professores de universidades federais em greve transformassem a 64ª reunião anual da entidade, em São Luiz do Maranhão, num protesto contra o governo. Ciente de que seria o alvo, o ministro da Educação, Aluizio Mercadante, não compareceu.

Espelho meu
O narcisismo de Gilberto Kassab, que avaliou sua administração com nota 10 e não chegou à metade na primeira consulta, contaminou Serra. A prioridade de agenda do candidato são suas próprias realizações, sobre as quais não economiza bons adjetivos.

Eleitores desaparecidos
Candidatos de oposição em Jundiaí (SP) se perguntam onde foram parar os 50 mil eleitores que desapareceram depois do recadastramento. O contingente caiu de 271 mil para 221 mil. Os 16 vereadores eleitos na cidade em 2008 conseguiram apenas 45 mil votos, 5 mil menos do que o total de “desaparecidos”.

Nas mãos dos médicos
Está totalmente nas mãos dos médicos a participação de Lula nas campanhas de candidatos do PT fora de São Paulo. Até agora o ex-presidente só tem autorização para carregar Haddad e assim mesmo com restrições.

Propaganda negativa
ONGs de direitos humanos querem que a indústria bélica pare de estampar a bandeira brasileira em bombas e outros armamentos. Pegou mal a imagem que ganhou o mundo mostrando uma criança síria num campo de refugiados na Turquia com uma bomba de gás lacrimogêneo cujo destaque era a bandeira de um país que vende a imagem de pacifista.

Previsões do Zé
O ex-ministro José Dirceu fez uma pausa nos preparativos da defesa no caso do mensalão para revelar seus palpites eleitorais. Ele acha ‘muito difícil’ Serra (a quem trata de José) ganhar porque, embora 99% dos eleitores conheçam o tucano, só 30% o preferem.

O potencial de Haddad
Para Fernando Haddad, o diagnóstico de Dirceu é melhor. Apesar de ter 7% do eleitorado, pelo menos 55% do eleitorado não conhece o petista e 61% ainda estão indecisos.

Da CGU para a PF
Parado desde outubro do ano passado, o programa de fiscalização por sorteio da CGU foi retomado ontem. Os auditores farão um pente fino nos convênios de 60 municípios que receberam recursos federais. Os malfeitos entram na mira da PF.

“Me escuta”
Soninha Francine continua tendo as redes sociais como seu principal veículo de propaganda. Ela garantiu, via Twitter, que até o Haddad votaria nela se o petista escutasse, por 30 minutos, discurso sobre seu programa de governo.

Tribuna virtual
O senador Cristovam Buarque (PDT), desanimado pelo vazio do Senado, também confessa: a internet é a minha tribuna.

A aposta na TV
Os marqueteiros ligados à campanha de Geraldo Júlio, apadrinhado de Eduardo Campos, do PSB, para concorrer à prefeitura do Recife, garantem que 13 minutos de propaganda diária na TV, como terá o socialista, vendem qualquer coisa.

Com Gilmar Correa e Marcos Seabra

contato@colunaesplanada.com.br . www.colunaesplanada.com.br

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!