Deputado é baleado no Mato Grosso

Vítima de um assalto na noite de ontem (3), o deputado federal licenciado Eliene Lima levou um tiro no joelho. “Atiraram para matar”, diz ele, em entrevista ao Congresso em Foco

Alexandre Aprá, especial para o Congresso em Foco

O deputado federal licenciado Eliene Lima (PSD-MT) foi baleado com um tiro no joelho esquerdo, durante um assalto ocorrido na noite desta quinta-feria (3), por volta das 20 horas, em Cuiabá. Eliene está licenciado do cargo desde o início do ano, quando assumiu o comando da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso.

O parlamentar está internado no Hospital Ortopédico, na capital matogrossense, e será submetido a uma cirurgia, que provavelmente deve acontecer nesta tarde. O assalto aconteceu quando Eliene e outros amigos se dirigiam à sede de um clube, na região do Coxipó, para um jogo de futebol.

No caminho, o deputado parou seu carro para cumprimentar um amigo, o delegado aposentado João Capetinga, que já ocupou o cargo de diretor-geral da Polícia Civil de Mato Grosso. Na casa do delegado, no bairro Boa Esperança, os dois foram abordados por, pelo menos, dois assaltantes.

Em entrevista ao Congresso em Foco, o deputado federal Eliene Lima contou que os disparos foram efetuados depois que o delegado aposentado ameaçou reagir contra os assaltantes. Foram pelo menos dois disparos. João Capetinga também foi atingido na mão direita. Depois dos disparos, os bandidos fugiram em disparada, levando alguns pertences pessoais das vítimas.

"Foi um verdadeiro terror”

Eles atiraram para matar", conta o deputado. "Eu saí da Assembléia Legislativa e estava indo para o jogo quando parei para cumprimentar o João. Foi só eu descer e apertar a sua mão, e cumprimentar também um vizinho, que logo em seguida fomos rendidos", afirmou.

Nesse instante, Eliene disse que tentou fazer um sinal de socorro com uma das mãos para um carro que passava pelo local. "Um dos assaltantes percebeu e me deu uma coronhada da cabeça", contou.

"Aí, eles mandaram todos entrarem na casa e começaram a aterrorizar. Eles só perguntavam onde estava o dinheiro e o cofre. Daí, eles começaram a revirar algumas gavetas e encontraram uma caixa de balas [projéteis]. Então, eles queriam saber onde estava o revólver do João. Graças a Deus, não encontraram a arma, porque seria mais fácil matar a gente", disse.

Eliene relatou que o assaltante mirou, primeiro, nele. "O tiro ia acertar na minha barriga, mas consegui pular e pegou na rótula. O segundo tiro era para acertar a mulher do João e ele. Acabou acertando, felizmente, só na mão dele".

Socorro

Após os dois primeiros disparos, os bandidos atiraram mais duas vezes, segundo Eliene, mas os tiros não atingiram mais ninguém. Segundo ele, um outro bandido ficou o tempo todo do lado de fora, monitorando a ação. Logo que os assaltantes saíram, Eliene começou a pedir por socorro e foi para a calçada.

"Meu joelho começou a sangrar muito, vi que tinha estraçalhado a rótula. Eu estava em pânico, meio desesperado. Daí, abri o portão e um vizinho ouviu meus gritos e chamou a polícia, que em cinco minutos chegou. Apesar do cerco, os bandidos fugiram, provavelmente de moto", afirmou.

Após a cirurgia na rótula, os médicos devem emitir um boletim médico sobre o estado de saúde do parlamentar e se o ferimento pode ou não causar sequelas em seus movimentos.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!