As explicações de Rollemberg e da Funasa

Rodrigo Rollemberg

Segue a íntegra das explicações enviadas por Rodrigo Rollemberg (PSDB-DF). O texto foi encaminhado ao site, pela assessoria de imprensa dele, antes das eleições em que o ex-secretário do MCT conquistou uma cadeira na Câmara dos Deputados:

"Analisamos o e-mail remetido por Bita, Fabio Passarini de Gusmão, para o Danilo Mello, funcionário de uma empresa de informática contratada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, e vimos que não houve, nem há qualquer teor que comprometa o candidato a deputado federal Rodrigo Rollemberg.

O referido e-mail, que saiu de uma máquina e de um provedor particular, pedia ao Danilo que não enviasse nada que se referisse à campanha no MCT. nem se referisse ao próprio MCT. Portanto, mostra o cuidado do remetente em avisar ao Danilo que não utilizasse o mailing do ministério para divulgar a campanha de Rodrigo.

O que aconteceu foi que Bita, ao enviar o mail, enviou equivocadamente para uma lista de distribuição aberta do MCT.

Portanto, não é responsabilidade do Rodrigo Rollemberg, nem de qualquer pessoa ligada a ele e ao comitê, o fato de Bita ter enviado um mail particular para um militante do PSB, e por engano, ter enviado para mais pessoas.

Informo ainda que, diferente do que você colocou no seu e-mail para a Vera Canfrano, Danilo não é indicado para o emprego que tem, pois é contratado por uma empresa privada. Além do mais, presta serviços ao MCT desde maio de 2003, tempo muito anterior à gestão de Rodrigo Rollemberg na Secretaria de Inclusão Social."


Funasa

Sobre as compras que fez da KM Empreendimentos Ltda., nos estados de Maranhão, Bahia, Minas Gerais e Goiás, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) deu as seguintes explicações, por meio de sua assessoria de imprensa:

"1. Até o presente momento, não houve qualquer parecer dos órgãos de controle (CGU ou TCU) encaminhado à Funasa sobre irregularidades nos contratos para aquisição ou reforma de unidades móveis de controle de qualidade de água (UMCQA) feitos por esta fundação;

2. Caso haja algum posicionamento ou recomendação por parte dos órgãos de controle, a Funasa envidará todos os esforços para que sejam integralmente tomadas  as providências cabíveis;

3. Vale lembrar, no entanto, que os contratos são feitos descentralizadamente pelas coordenações regionais da Funasa por meio de licitação (Lei 8.666/93) e as empresas vencedoras dos certames licitatórios estão cumprindo os contratos;

4. Além disso, é importante ressaltar que 50% destes contratos são anteriores ao ano de 2003;

5. Por fim, a Funasa dispõe hoje de sete UMCQAs que atuam em regiões específicas do país onde há necessidade de intervenções e correções do controle da qualidade da água para consumo humano. As unidades são utilizadas, também, para a avaliação de riscos e o gerenciamento de acidentes ambientais. Além disso, a unidade pode dar suporte laboratorial aos órgãos ambientais e de saúde para análises físico-químicas e microbiológicas."

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!