Território venezuelano no Brasil foi violentado, afirma representante de Maduro

O encarregado de negócios venezuelano, Freddy Flores, representante do governo de Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (13) que o espaço territorial venezuelano no Brasil foi "violentado", com a invasão de apoiadores do presidente autoproclamado, Juan Guaidó, à embaixada do país.

> Bolsonaro nega apoio à invasão da embaixada da Venezuela

"Um grupo de pessoas inimigas desta embaixada, do nosso governo, entrou arbitrariamente dentro de nossas instalações. Essa ação foi repelida graças a solidariedade de todos vocês", disse.

De acordo com ele, os manifestantes saíram do terreno em liberdade. Eles deixaram o espaço no fim da tarde de hoje, após mais de 12 horas no local, em um microônibus branco, cercado por viaturas da polícia.

Flores afirmou que o acontecimento de hoje é "preocupante", além de "inumano, agressivo e terrorista". "Chegaram aqui de madrugada e violentaram nossa segurança. Entraram dentro das nossas instalações violentamente", afirmou.

Ele defende que o reconhecimento do governo brasileiro a um"governo fictício" torna a situação da representação venezuelana mais difícil – o Brasil reconheceu Juan Guaidó como presidente da Venezuela. Apesar disso, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) classificou o episódio como uma "invasão".

O encarregado de negócios afirma não conhecer os manifestantes e diz que haviam pessoas de outras nacionalidades, além de venezuelanos, na invasão. Durante a tarde, uma mulher boliviana pró-Guaidó passou mal e foi retirada do local por uma ambulância.

> Vídeo: tumulto na embaixada da Venezuela em Brasília

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!