“PAREM A CONTAGEM!”, pede Trump em redes sociais

O presidente norte-americano Donald Trump pediu, em letras maiúsculas e com ponto de exclamação, que a contagem de votos da eleição americana seja suspensa. O candidato republicano à reeleição não tem poder legal para isso.

Minutos depois, Trump voltou à plataforma para dizer que "QUALQUER VOTO QUE CHEGUE APÓS O DIA DA ELEIÇÃO NÃO SERÁ CONTADO". O Twitter ocultou a mensagem porque "alguns ou todos os conteúdos compartilhados neste Tweet são contestáveis e podem ter informações incorretas sobre como participar de uma eleição ou de outro processo cívico"

Logo abaixo da mensagem do presidente, o Twitter deixa claro que "alguns votos ainda devem sim ser contados". A regra eleitoral americana varia de estado para estado, mas votos recebidos pelo correio até o dia da eleição são considerados válidos. Em alguns outros, votos postados no correio até o dia da eleição, mas que cheguem até às centrais de apuração dias depois, podem ser considerados como válidos.

Trump está atrás do democrata Joe Biden na apuração de votos. Segundo a Associated Press, o republicano tem 214 votos e o democrata 264 votos no colégio eleitoral, precisando de apenas mais seis votos para se tornar o 46º presidente do país. O republicano já acionou a Justiça em alguns estados, e ameaça ir à Suprema Corte contra a contagem de votos recebidos pelo correio.

Trump está atrás em Nevada, e à frente na Pennsylvania e na Georgia – nos três estados há a possibilidade real de virada de Joe Biden por conta de votos ainda não apurados. A expectativa é que, no meio da tarde pelo horário de Brasília, novas parciais determinem se Biden consegue garantir os 270 delegados ainda hoje.


> Eleição americana pode ser decidida hoje; Biden está a um passo da vitória
> Donald Trump tem posts limitados pelo Twitter por informações “contestáveis”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!