Papa diz que “cultura de ódio” de governantes atuais lembra Hitler

O papa Francisco criticou nessa sexta-feira(15) governantes com discurso contra gays, judeus e estrangeiros. A fala foi feita durante encontro do representante maior da Igreja Católica com a Associação Internacional de Advogados Penais, em Roma. As informações são da rede americana de televisão CNN.

"Eu confesso que quando ouço o discurso de algumas pessoas responsáveis pela ordem pública e pelo governo, eu lembro dos discursos de Hitler de 1934 a 1936. São ações típicas do nazismo a perseguição aos judeus, ciganos, homossexuais. Representa o negativo modelo da cultura do descarte e da cultura do ódio", declarou.

O argentino também pediu que a sociedade fiscalizasse o discurso contra minorias praticados pelos governantes.

"É isso que fazem hoje e essas coisas estão vindo à tona. Sejam vigilantes, ambas sociedades civil e religiosa, para evitar qualquer tipo de compromisso com tal degeneração".

Em seu discurso, o papa não citou nominalmente nenhum líder mundial.

>Como o Sínodo Panamazônico pode nos surpreender

Campanha do Congresso em Foco no Catarse

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!