Lula diz que errou ao conceder asilo a Cesare Battisti

O ex-presidente Lula (PT) admitiu ter cometido um erro ao negar a extradição do italiano Cesare Battisti, em 2010. Ele foi condenado à prisão perpétua na Itália por assassinatos promovidos na década de 1970 por grupos de extrema-esquerda. Após quase dez anos de refúgio no Brasil, Battisti confessou os crimes ao ser preso na Bolívia.

Em um debate online realizado na quinta-feira (20), Lula se disse frustrado e decepcionado com a confissão de Battisti.

> Alvaro Dias: Guedes foi babaca, mas projetos não serão comprometidos

“Eu acho que, como eu, todo mundo da esquerda que defendeu o Cesare Battisti ficou frustrado. Ficou decepcionado, sabe, e eu não teria nenhum problema de pedir desculpas à esquerda italiana, de pedir desculpas à família do Cesare Battisti, por ele ter praticado o crime que cometeu e ter enganado muita gente no Brasil”, declarou.

“Então, se nós cometemos esse erro, nós pediremos desculpas, não tenho dúvida nenhuma. Agora, ele conseguiu mentir para as pessoas de bem aqui no Brasil que acreditavam nele. Foi isso”, disse.

Lula disse ter tomado a decisão de impedir a extradição de Battisti por influência do então ministro da Justiça, Tarso Genro.

“Você percebe que não foi uma decisão fácil. O Tarso Genro me disse: ‘olha, não dá pra gente mandar ele embora porque ele pode ser detonado na Itália, e ele é inocente’. Toda a esquerda brasileira [...] todo mundo defendia que o Battisti ficasse aqui”, disse.

As declarações de Lula repercutiram nas redes sociais.

> Amazônia: 73% do desmatamento para garimpo aconteceu em áreas protegidas


 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!