Impasse na Venezuela: regime e oposição escolhem dois presidentes do legislativo

A votação que definiria o novo presidente da Assembléia Nacional da Venezuela foi marcada por impasse entre apoiadores de Maduro e opositores neste domingo (5). Com a sede cercada pela polícia, deputados do regime de Nicolás Maduro impediram a entrada de opositores na casa Legislativa.

>“Governo aceita pré-julgamento de Trump sobre Irã”, diz ex-chanceler

Atualmente, Juan Guaidó é o presidente do parlamento Venezuelano, sendo reconhecido por cerca de 50 países incluindo o Brasil, como presidente interino do país. Guaidó seria um dos nomes a tentar reeleição, mas foi impedido de participar da votação no domingo (5).

O deputado Luis Parra foi eleito pelos apoiadores do regime de Maduro como o novo líder do Congresso.

A eleição foi considerada por Guaidó e demais opositores ao regime como "golpe parlamentar". Eles afirmam que votação não teve quórum suficiente para eleger um novo presidente.

Opositores se reuniram na sede do jornal El Nacional, segundo o jornal Folha de São Paulo, onde realizaram uma eleição entre si reelegendo Guaidó como presidente do parlamento e consequentemente presidente interino.

Repercussão

No Twitter, o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Ernesto Araújo, reconheceu a reeleição de Guaidó e afirmou que Maduro tentou "impedir" uma "votação legítima".

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o presidente Uruguaio, Luis Lacalle Pou, se posicionou de forma semelhante ao Brasil, afirmando que a interferência na Assembleia por parte do regime de Maduro representa "um novo golpe nas instituições democráticas".

O Departamento de Estado dos Estados Unidos também reconheceu a reeleição de Guaidó.

Com informações da Folha de São Paulo e G1.

>Lula vai usar sanção do juiz de garantias contra Moro na ONU

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!