Deputado do Psol homenageia Kim Jong-un na Assembleia do RJ

O deputado estadual Leonel Brizola (Psol-RJ) requereu uma moção em homenagem ao governo da Coreia do Norte e ao seu líder, o ditador Kim Jong-un. O requerimento foi publicado nesta quinta-feira (12) pelo Globo e aconteceu em novembro de 2019.

> Partidos denunciam Bolsonaro à ONU por censura artística no Brasil

O texto da moção de louvor diz que Kim luta “pela reunificação da Coreia e a necessária paz mundial”. A homenagem foi publicada na agência estatal de notícias da Coreia do Norte, a KCNA, considerada a voz do regime ditatorial. “O Líder Supremo, Kim Jong Un, recebeu o certificado ‘Moção de Louvor e Reconhecimento’ da Assembleia (sic) da Cidade do Rio de Janeiro”, disse o comunicado que também afirmou aos norte-coreanos que o certificado é “concedido a pessoas que prestaram serviços distintos no Brasil”.

No Twitter, da deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS) rechaçou o requerimento do companheiro de partido. “Nós do Psol nunca defendemos o regime ditatorial da Coreia do Norte e a moção do vereador Brizola Neto não representa a opinião do nosso partido. Defendemos o socialismo e a liberdade e nenhum dos dois existe no país de Kim Jong-Un!”, disse Fernanda.

Do outro lado de espectro político, João Amoêdo, ex-presidenciável do Novo, também lamentou o ato. “Lamentável a moção de louvor ao ditador da Coreia do Norte, feita pelo vereador do Psol, na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Um ditador, filho e neto de outros ditadores, que levaram apenas fome, pobreza, restrições de liberdades básicas e muito mais merece apenas repúdio”, disse em publicação no Twitter.

O diretório nacional do Psol encaminhou a seguinte nota para a reportagem: “O Psol quer apenas comentar que a homenagem do vereador não representa a posição do partido, foi uma iniciativa individual no exercício do seu mandato parlamentar”.

> Impeachment de Salles será julgado pelo plenário do STF, decide Fachin

Cidade do Rio de JaneiroCoreia do NortesditadorditaduraFernanda Melchionnajoao amoedoKCNAKim Jong-unLeonel BrizolaLíder Supremo