Bolsonaro é único líder de país democrático a não reconhecer vitória de Biden

O presidente Jair Bolsonaro completa hoje 38 dias sem enviar cumprimentos formais ao presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, por sua vitória. Nesta segunda-feira (14), após ter sua eleição confirmada pelo colégio eleitoral norte-americano, Biden recebeu os cumprimentos do presidente da Rússia, Vladimir Putin – um dos poucos que, a exemplo de Bolsonaro, não haviam se manifestado até então.

A postura indica isolamento do presidente brasileiro, que é o único líder de nação relevante a não ter aberto um canal de comunicação com o novo governo dos EUA. Ideologicamente alinhado ao candidato perdedor, o atual presidente republicano Donald Trump, Bolsonaro acredita em uma possibilidade de reversão da eleição.

No dia do segundo turno das eleições brasileiras, em 29 de novembro, Bolsonaro, já havia dito, sem provas, que houve "muita fraude" durante as eleições norte-americanas. A hipótese já completamente descartada pelas autoridades americanas, inclusive por lideranças republicanas e democratas.

A falta de diálogo entre os líderes das duas maiores economias das Américas aponta para um aumento dos atritos na segunda metade de mandato de Bolsonaro. O presidente-eleito dos Estados Unidos já apontou a pauta ambiental como uma de suas prioridades, e pode aplicar um plano previsto em sua campanha de denunciar "bandidos do clima" – o Brasil poderia integrar essa lista. O ex-secretário de estado John Kerry foi designado enviado para o meio ambiente, e poderá também se manifestar contra o Brasil durante o mandato de Biden.


> Desconfiança com governo Bolsonaro trava acordo com Mercosul, diz embaixador da União Europeia
> Embaixada da China diz que Eduardo Bolsonaro pode perturbar parceria com Brasil

Continuar lendo