Bolsonaro presta continência a assessor de Trump e classifica encontro como “muito producente”

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, e o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, se encontraram na manhã desta quinta-feira (29). Os detalhes da conversa não foram divulgados. Mas, pelo Twitter, o presidente eleito classificou a reunião, um café da manhã em sua residência no Rio, como “muito producente”. Havia a expectativa de que os dois tratassem de questões como o comércio entre Brasil e Estados Unidos no próximo governo, as relações entre os dois países com a China e a situação política da Venezuela.

Ao receber o assessor do presidente Donald Trump, Bolsonaro fez um gesto de continência. Ele estava acompanhado de seu ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, do futuro chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, e do próximo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva.

Desde sua campanha, o presidente eleito defende uma aproximação maior entre Brasil e Estados Unidos. O presidente Donald Trump foi o primeiro chefe de Estado a telefonar para parabenizá-lo pela vitória em segundo turno no último dia 28.

Veja o vídeo:


Preparando terreno

Em entrevista coletiva na última terça-feira (27), em Washington, Bolton disse que o encontro seria um “momento histórico para a relação entre Brasil e Estados Unidos” e que pretendia ouvir as prioridades de Bolsonaro e falar sobre os pontos de vista de Trump sobre economia e segurança, entre outras áreas. O objetivo da conversa, segundo o conselheiro, é “preparar terreno” para uma ação conjunta dos dois presidentes.

“Compartilhamos muitos interesses bilaterais e trabalharemos de forma próxima para expandir a liberdade e a prosperidade por todo o continente americano”, disse Bolton pelo Twitter.

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito, está nos Estados Unidos, onde tem se encontrado com autoridades e participado de palestras. Ele foi um dos convidados de Steve Bannon, ex-estrategista de campanha de Trump, para sua festa de aniversário. Os dois já haviam se encontrado meses atrás, o que despertou rumores de que Bannon também atuou, ainda que informalmente, na campanha de Bolsonaro.

John Bolton chegou à casa de Bolsonaro às 7h, acompanhado do diretor de imprensa, Garrett Marquis, do diretor de Negócios do Hemisfério Oeste, Mauricio Claver-Carone, do diretor para o Brasil, David Schnier, e do Encarregado de Negócios, Bill Popp.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!