Sites de vaquinha online excluem campanhas bolsonaristas antidemocráticas

A plataforma online para doações "Vakinha" anunciou nesta quarta-feira (27) que retirou do site a campanha de arrecadação monetária para o grupo bolsonarista "300 do Brasil". "Nosso jurídico concluiu uma nova análise, facilitada pelos eventos recentes, e recomendou a retirada da vaquinha", informou no Twitter.

A decisão foi tomada após o movimento Sleeping Giants Brasil - que monitora e alerta empresas quando publicam anúncios em veículos que propagam desinformação ou discursos de ódio denunciar que, por meio da hospedagem da campanha do "300 do Brasil", que desrespeitava os termos de condição da plataforma, foi possibilitado ao grupo que recebesse pelo menos "80 mil reais para causas antidemocráticas".

> TCU determina suspensão de propaganda do Banco do Brasil em site de fake news

Segundo a "Vakinha", as campanhas de arrecadação são criadas pelos usuários para diversos propósitos e "o fato da vaquinha estar publicada no site" não quer dizer que possui o "apoio ou endosso" da plataforma. Em resposta, o movimento questionou qual será o destino do dinheiro que foi arrecado até a desativação da campanha. "Gostaríamos de saber o que será feito sobre o valor que foi arrecadado...Mas somente a empresa pode responder sobre!", publicou o perfil do Sleeping Giants no Twitter 

Na última semana, a Sleeping Giants também comunicou diversas marcas que tinham anúncios publicados no portal Jornal da Cidade Online. Por conta da mobilização feita pelo grupo nas redes sociais, a campanha de financiamento do jornal na plataforma digital "Apoia-se" está em revisão.

Em nota divulgada na última quinta (21), a "Apoia-se" comunicou que: "não compactuamos com nenhum tipo de campanha que atente contra a vida, a democracia, a liberdade de expressão ou às leis brasileiras".

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!