Lula diz que vai acionar Lava Jato na Justiça por cooperação com FBI

O ex-presidente Lula (PT) concedeu uma entrevista ao canal Al-Jazeera, veiculada neste fim de semana, onde comentou sobre a resposta de Jair Bolsonaro à pandemia de covid-19 e o envolvimento dos Estados Unidos com a força-tarefa da Lava Jato.

O político voltou a dar explicações sobre o tempo que passou na prisão em Curitiba e sobre a Operação. "Eles montaram uma mentira. A acusação que a Lava Jato fez contra mim, depois de dizer que eu havia montado uma quadrilha no governo, foi derrotada pela 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília", disse.

"A Polícia Federal, o Ministério Público e o ex-juiz Moro foram serviçais do departamento de justiça dos Estados Unidos e do FBI", apontou o ex-presidente. "Quero saber qual foi efetivamente a participação do FBI”, defendeu.

> Lava Jato denuncia Alckmin por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Há três semanas, a agência Pública e o site The Intercept Brasil divulgaram uma matéria onde apontam a ligação de membros da força-tarefa com departamento de polícia norte-americano. Lula afirmou que vai acionar a Lava Jato na Justiça dos Estados Unidos por conta da cooperação entre os procuradores da Operação em Curitiba e o FBI.

"A verdade é que a América Latina não tem o direito de ser democrática e cuidar do seu povo, porque os norte-americanos ameaçam os latino-americanos como se fossem seu próprio quintal”, apontou.“Alguém sempre aparece e estrangula, alguém sempre vem prejudicar a democracia. Os Estados Unidos estão sempre por trás disso”. Lula disse ainda que o objetivo da Lava Jato era "quebrar a Petrobras e destruir as empresas de engenharia do Brasil".

Para ele, a Operação "pegou todas as informações sobre a Odebrecht e descobriu" que não tinha seu nome. "Estamos desconfiando e vamos requerer à Justiça da Suíça o processo. Eu desconfio que o Ministério Público mentiu”, disse o ex-presidente.

Bolsonaro

Lula reafirmou que a responsabilidade pelo país ser o atual epicentro da covid-19 na América do Sul é de Bolsonaro. “Se tivéssemos cuidado do coronavírus logo que foi denunciado, se o Brasil tivesse se preparado (...) nós não teríamos perdido o controle. (...) O Brasil foi irresponsável”.  Lula classificou como "estupidez política" a publicidade que Bolsonaro promove acerca da cloroquina e disse que o presidente já cometeu reiterados crimes de responsabilidade durante o período da pandemia.

O político falou ainda sobre o fato de o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, não ser da área e disse que ele “não entende” do assunto. As críticas também foram direcionadas a Ricardo Salles e Damares Alves. “Temos um ministro do Meio Ambiente que não entende de Meio Ambiente. Uma ministra de Direitos Humanos que não entende Direitos Humanos. Do ponto de vista governamental estamos totalmente abandonados”, disse.

Questionado sobre ameaças antidemocráticas, Lula disse que a democracia exige diálogo com diferentes setores e apontou que Bolsonaro não tem essa característica. "Ele não está preparado para exercer um governo agindo democraticamente. Ele não sabe exercer a democracia no seu comportamento pessoal e na sua relação com outros setores da sociedade e nem com outras instituições."

Segundo o ex-presidente, os militares que compõem o governo hoje são da reserva e diz não acreditar em um golpe. "Acho que Bolsonaro chegou a pensar em dar um golpe. (...) O Bolsonaro vai ter que aprender que democracia exige respeitar os adversários, a ciência, as universidades, o direito ao contraditório".

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!