Jornalista que chamou Felipe Neto de pedófilo se retrata, mas será processado

O jornalista Gustavo Victorino, da TV Pampa, afiliada da RedeTV do Rio Grande do Sul, fez uma retratação nessa segunda-feira (3) após ter chamado, na sexta (31), o youtuber Felipe Neto de "pedófilo" e "depravado". "Esse sujeito tinha que estar na cadeia", afirmou o comentarista na ocasião.

>Maia descarta impeachment de Bolsonaro: “Não vejo nenhum crime”

Após Felipe anunciar que estava entrando com processo contra Victorino e a emissora, o jornalista voltou ao ar e admitiu que usou "palavras fortes" e "inadequadas" ao falar do youtuber.
O comentarista disse ser "um democrata". “Eu sempre defendi o direito à liberdade, mas entendo que ela tem limites, e talvez, pelas palavras fortes que eu utilizei, tenha extrapolado esses limites”, declarou.
Felipe Neto compartilhou o vídeo em suas redes sociais, mas afirmou que levará os processos adiante.

 

Na última sexta, Victorino se exaltou ao falar do youtuber. "Eu trago aqui, seis, sete vídeos deles [irmãos Neto] e duvido que a direção da Pampa deixe eu tocar um deles. Ele é sim, um jeito que prega sexo entre crianças e, na minha opinião, um depravado, um pedófilo e tinha que estar na cadeia", disse o comentarista.
O youtuber tem sido atacado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro com notícias falsas nas redes sociais. Uma onda que cresceu depois de ele ter dito que Bolsonaro é o "pior presidente do mundo" no combate à covid-19 e depoimento gravado para The New York Times. O influenciador digital tem se posicionado cada vez mais politicamente em tom crítico ao atual governo e em defesa dos direitos das minorias sociais.
Ao tomar conhecimento das declarações de Victorino na última sexta, Felipe Neto divulgou a seguinte nota por meio de sua assessoria:
"A assessoria de Felipe Neto informa que todos aqueles que proferirem conteúdo difamatório, criarem ou compartilharem material que o relacione ao cometimento de crimes serão responsabilizados judicialmente, em âmbito cível e criminal. Felipe Neto reafirma a defesa da liberdade de expressão, desde que obedecidos os limites legais. Todos aqueles que cometerem os crimes de calúnia, injúria e difamação, responderão por seus atos.
Ele afirma que não irá se pronunciar publicamente sobre qualquer acusação relacionando sua imagem a crimes, bem como afirmações mentirosas, levianas e irresponsáveis. As medidas tomadas e o desenrolar das mesmas serão realizadas somente através da Justiça, por meio de seus advogados.

Os meios de comunicação não são terra sem lei e há de se ter compromisso e responsabilidade com aquilo que se fala."

>Lobby no Congresso e na Anvisa prolonga uso no Brasil de agrotóxico proibido em 55 países

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!