Banco do Brasil recua e mantém anúncio em site de Fake News

Banco do Brasil recuou da decisão de retirar seus anúncios de site acusado de divulgar notícias falsas. A ação aconteceu depois da reação do segundo filho  presidente, vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), contra a iniciativa de retirar os anúncios.

A instituição bancária recuou e anunciou nessa quinta-feira (21), que desbloqueou a página, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

>Salário mínimo: relator barra novo reajuste e compensação por janeiro

A denuncia contra campanhas publicitárias em sites considerados propagadores de discursos de ódio ou de fake news  parte da iniciativa de um perfil no Twitter, criado no Brasil na última segunda-feira (18), chamado Sleeping Giants Brasil, inspirado num perfil americano homônimo que existe desde 2016 com o objetivo de impedir que sites disseminadores de notícias falsas lucrem com publicidade.

Na terça-feira (19), a página divulgou que o Banco do Brasil mantinha anúncios no Jornal da Cidade Online, considerado disseminador de notícias falsas, pela página. Segundo o site de checagem de notícias Aos Fatos, o jornal foi classificado com "rede de desinformação".

Na quarta-feira (20), o Banco do Brasil respondeu à postagem do grupo afirmando que os anúncios haviam sido retirados. No momento seguinte, o vereador Carlos Bolsonaro partiu em defesa do Jornal Cidade Online e o chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), Fábio Wajngarten, afirmou que a situação estaria sendo contornada.

No Brasil, após as denúncias do perfil Sleeping Giants Brasil, diversas empresas, que tinham anúncios em sites como estes suspenderam suas campanhas de publicidade, estavam entre os anunciantes empresas como Telecine, Dell e o Canal History.

>Câmara aprova regras para recuperação judicial e falência durante pandemia

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!