Inpe aponta crescimento de áreas com alerta de desmatamento na Amazônia

Segundo dados do sistema de alertas Deter (acesse), que auxilia na fiscalização da degradação e desmatamento da cobertura florestal no país, atualizado pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre agosto de 2019 e julho deste ano, 9.205 km² de áreas receberam o alerta de desmatamento. Os dados demonstram aumento em relação ao mesmo recorte do ano passado, onde foram registrados 6.844 km² entre agosto de 2018 e julho de 2019.

Em julho deste ano as áreas na Amazônia que registraram alerta de desmatamento chegaram a 1.654, 32 Km². Este número é menor do que o constatado no mesmo período relativo ao ano passado quando foram registrados 2.255,33 km².

>Desmatamento na Amazônia dobra em 2020 e bate com folga o recorde de 2019

Em nota (leia a íntegra) publicada nesta sexta-feira (7), o Observatório do Clima comenta os dados divulgados pelo Inpe e afirma que o governo Bolsonaro tem responsabilidade nos altos níveis registrados de desmatamento. "Tal conjunto de ações e omissões, que o ministro do Meio Ambiente tão bem sintetizou na infame expressão “passar a boiada”, é o responsável direto pelo descontrole do desmatamento, que transforma o Brasil em pária internacional e ameaça levar embora investimentos no momento em que eles são mais necessários, o de recuperação econômica no pós-pandemia", diz trecho da nota.

>Bolsonaro culpa “indígena e caboclo” por “parte considerável” do desmatamento

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!