Bolsonaro e ministro do Meio Ambiente demonstram “completo desconhecimento” do Ibama, diz presidente do órgão

A presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), Suely Araújo, disse que o novo ministro da pasta, Ricardo Salles, e o presidente Jair Bolsonaro demonstram “completo desconhecimento da magnitude” do órgão e das suas atribuições. Suely, que está de saída do cargo e será sucedida por Eduardo Bim, divulgou nota para contestar as críticas feitas no Twitter por Salles a um contrato de R$ 28,7 milhões feito pelo Ibama para o aluguel de veículos.

Em seguida, Bolsonaro retuitou a mensagem e acrescentou um comentário, dizendo que havia “montanhas de irregularidades” no governo. Pouco tempo depois, o presidente apagou a postagem e compartilhou apenas o texto de Ricardo Salles.

"As viaturas do Ibama são objeto de um contrato de locação de âmbito nacional. O novo contrato abrange 393 caminhonetes adaptadas para atividades de fiscalização, combate a incêndios florestais, emergências ambientais, ações de inteligência, vistorias técnicas etc., nos 27 estados brasileiros, e inclui combustível, manutenção e seguro, com substituição a cada dois anos. A acusação sem fundamento evidencia completo desconhecimento da magnitude do Ibama e das suas funções", diz trecho da nota divulgada por Suely na noite desse domingo (6).

De acordo com a presidente do Ibama, o valor do contrato foi reduzido ao longo do processo licitatório, aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Suely sugeriu que o novo governo pretende criar obstáculos à atuação do órgão.

"A presidência do Ibama refuta com veemência qualquer insinuação de irregularidade na contratação. Espera, por fim, que o novo governo dedique toda a atenção necessária às importantes tarefas a cargo do Ibama, e não a criar obstáculos à atuação da Autarquia", concluiu a atual presidente.

A confusão começou quando o novo ministro do Meio Ambiente reproduziu, no Twitter, um trecho do Diário Oficial da União com o extrato do contrato. "Quase 30 milhões de reais em aluguel de carros, só para o Ibama...", escreveu.

Bolsonaro não só compartilhou a mensagem como acrescentou: "Estamos em ritmo acelerado, desmontando rapidamente montanhas de irregularidades e situações anormais que estão sendo e serão COMPROVADAS e EXPOSTAS. A certeza é: havia todo um sistema formado para principalmente violentar financeiramente o brasileiro sem a menor preocupação!". O comentário foi apagado por Bolsonaro posteriormente.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!