Artistas comandaram protesto contra desmatamento no RJ

Manifestantes se reuniram na tarde deste domingo (25) na Praia de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro, para pedir o combate ao desmatamento e às queimadas na Floresta Amazônica. O ato contou com a presença de organizações não-governamentais, ativistas, políticos como os deputados federais Alessandro Molon (PSB-RJ) e Benedita da Silva (PT-RJ) e artistas como os cantores Caetano Veloso, Sônia Braga, Criolo e Tereza Cristina.

>Em carta à PGR, artistas pedem ações contra desmonte de políticas ambientais no país

Os manifestantes cantaram clássicos da música popular brasileira e ergueram cartazes com dizeres como "Não queimem o nosso futuro" e "A Amazônia não aguenta mais".

Entre os manifestantes havia crianças, idosos, jovens e adultos, e o ato transcorreu com tranquilidade. Na última sexta-feira, protestos contra o desmatamento já tinham levado manifestantes a diversas cidades brasileiras, entre elas Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Os incêndios na Amazônia chamaram a atenção da comunidade internacional nesta semana e foram discutidos na Cúpula do G7, que reuniu os chefes de Estado de Estados Unidos, Alemanha, Japão, França, Reino Unido, Itália e Canadá. Anfitrião do encontro, o francês Emmanuel Macron, declarou neste domingo que é necessário ajudar os países da Amazônia a combater os incêndios o mais rápido possível.

Também na sexta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) autorizando o emprego das Forças Armadas no combate aos incêndios. O envio dos militares dependerá da solicitação de cada governador da região, que inclui os estados de Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos estados de Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. Entre esses estados, apenas Maranhão e Amapá ainda não requisitaram o apoio federal.

Manifestações pró Bolsonaro

Também ocorreram neste domingo manifestações organizadas por grupos simpáticos ao governo Bolsonaro. De acordo com levantamento feito pelo site G1, 46 cidades de 21 estados registraram atos pedindo o veto ao projeto de lei do abuso de autoridade, declarando apoio à Operação Lava Jato e ao procurador da República Deltan Dallagnol, além da reivindicar a abertura de processo de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal, inclusive contra o presidente da corte, Dias Toffoli. A expectativa do movimento VemPraRua era que a mobilização alcançasse cerca de 83 cidades.

*Com informações da Agência Brasil.

>G7 concorda em ajudar Amazônia “o mais rápido possível”

>Governadores da Amazônia se reúnem com Bolsonaro na terça

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!