Vice-líder do governo fica com presidência da CPI do Óleo

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar as causas do derramamento de óleo que há mais de dois meses atinge o Nordeste e recentemente também chegou ao Rio de Janeiro não será mais inteiramente conduzida por deputados do Nordeste. O acordo que vinha sendo costurado entre os líderes partidários da Câmara caiu nesta quarta-feira (27), poucas horas antes da instalação da CPI, com a indicação do deputado Herculano Passos (MDB-SP) para a presidência da CPI.

> Maia cria CPI para investigar vazamento de óleo no Nordeste

Herculado é vice-líder do governo na Câmara e presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo. Segundo os deputados, é muito ligado ao trade turístico e aos empresários do setor hoteleiro, que vinham se mostrando resistentes à instalação da CPI do Derramamento de Óleo por recearem que a continuidade das investigações sobre o óleo prejudicasse ainda mais a atividade turística.

O MDB foi escolhido para presidir a CPI por um acordo de líderes que entregou a relatoria da comissão ao PSB - o partido do deputado João Campos (PE), que propôs a criação da CPI. Por ser o autor dessa proposição, o PSB poderia ficar com a presidência ou a relatoria da comissão, mas escolheu a relatoria por entender que esta é uma posição mais combativa que lhe permitirá conduzir as investigações da origem do óleo e também as discussões sobre as medidas que possam evitar novos desastres como esse. O partido indicou para o cargo, então, o próprio João Campos.

Já o MDB vinha sugerindo que indicaria um deputado do Nordeste para a presidência, já que esta foi a região mais atingida pelo óleo. O mais cotado para o cargo era Isnaldo Bilhões (AL), que já havia admitido ao Congresso em Foco que estava conversando sobre o cargo.

Na manhã desta quarta, porém, o partido enviou outro nome como candidato a presidente, o de Herculano Passos. Membros do partido argumentam que Passos é um bom nome por conta da proximidade com o setor turístico. Bulhões reitera que é uma boa indicação e diz que abriu mão da presidência para se dedicar a outras pautas.

Os deputados do Nordeste e da frente ambientalista admitiram que a expectativa era que o indicado do MDB indicasse um nordestino para o cargo. Mas acreditam que será possível tocar as investigações sobre o óleo sem interferências já que o ainda Nordeste é maioria entre os membros do colegiado e está representado na relatoria. O relator João Campos, por sinal, informou que o trade turístico já entendeu a importância da CPI para, além de apurar as causas e os atuais responsáveis pelo derramamento de óleo, sejam discutidas medidas que possam evitar novos desastres ambientais como esse.

A instalação da CPI acontece na tarde desta quarta-feira (27) na Camara dos Deputados. Herculano e João Campos devem se manifestar sobre o andamento das investigações em relação ao óleo nesta ocasião.

> Veja quem assinou o pedido de CPI do Vazamento de Óleo

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!