Líder do PSL defende saída de Flávio Bolsonaro do partido

Os senadores Major Olimpio, líder do PSL no Senado, e o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) criticaram o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) por causa postura contrária à abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do poder Judiciário, a CPI da Lava Toga.

>CPI da Lava Toga recupera assinaturas necessárias para ser apresentada

Em entrevista à jornalista Marianna Holanda, do Estado de S. Paulo, publicada nesta segunda-feira (16), Major Olímpio defendeu a saída imediata de Flávio Bolsonaro do partido. “Nós que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Juíza Selma, de saída para o Podemos) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, afirmou o senador Major Olimpio. O PSL é o partido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

A CPI da Lava Toga deixou de ser protocolada na semana passada porque perdeu a assinatura da senadora Maria do Carmo (DEM-SE). Nos bastidores, o comentário é que membros do PSL, como o senador Flávio Bolsonaro, têm feito muita pressão para que os parlamentares desistam dessa investigação.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, em defesa do irmão, postou nas redes sociais neste fim de semana um vídeo que, apesar de criticar a postura de Flávio, comenta que a CPI não teria eficácia para convocar e punir  magistrados, em especial os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Por causa da postagem, o senador Alessandro Vieira, que é o autor do pedido de CPI, respondeu dizendo que “falta vergonha na cara” do deputado para espalhar fake news contra a CPI da Lava Toga.

>Carlos Bolsonaro será convocado, diz presidente da CPI das Fake News

>Major Olímpio critica PSL, mas diz que vai “resistir e ficar” no partido

 

Alessandro Vieirabancada do PSLCPI da Lava TogaEduardo BolsonaroFlávio BolsonarnoMajor OlímpioPSL