“Se eu falar mal, não cai de jeito nenhum”, diz Maia sobre Weintraub

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comentou que fez uma promessa de evitar "falar mal" do ministro da Educação Abraham Weintraub, porque caso faça isso o ministro continuará no cargo. “Infelizmente, o debate com o governo não é do tamanho que gostaríamos, independente de gostarmos ou não do ministro. Eu prometi que não ia falar mal dele, porque senão ele não cai de jeito nenhum”, disse Maia ao comentar os trabalhos da comissão especial que analisa mudanças no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). A declaração foi feita em um evento promovido pela ONG Todos pela Educação.

Relatora do Fundeb dobra participação do governo federal

Durante a palestra, o presidente da Casa também elogiou os trabalhos da comissão que, segundo ele, conseguiu executar um trabalho "correto", com muitas discussões sobre a matéria. A votação do texto que prevê a renovação do Fundeb está na pauta desta semana da Câmara.

Mais tarde, no Twitter, Weintraub comentou o a fala de Maia. Ele compartilhou a notícia com a declaração do presidente da Câmara e escreveu: "Foi Priscila Cruz, presidente do Todos Pela Educação, quem organizou o evento de hoje para apresentar alternativas ao que estamos fazendo no MEC. Lembrando, Priscila Cruz, fã de Paulo Freire, quer estratégia para me derrubar".

Não é a primeira vez que Maia crítica Weintraub. Em janeiro deste ano ele disse que o ministro "atrapalha o Brasil"  e que sua postura impede que novos recursos cheguem ao país. "Como faz para um investidor olhar um ministro da Educação desses? [Dessa maneira] O país não tem futuro", disse em palestra no Credit Suisse em São Paulo.

Crise global pressiona governo a dialogar com o Congresso por reformas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!