Saiba o que a deputada acusada de mandar matar o marido fez na Câmara no último ano

Desde o assassinato de Anderson do Carmo, em junho de 2019, as investigações da polícia do Rio de Janeiro já davam sinais de que o crime havia acontecido com a participação de sua esposa, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ). Nesta segunda-feira (24), a polícia concluiu a apuração e apontou a deputada como mandante do assassinato. Durante os meses de investigação, Flordelis seguiu no mandato e propôs leis, fez discursos e usou dinheiro da cota parlamentar para financiar despesa de trabalho. O Radar do Congresso, plataforma de dados do Congresso em Foco, permite uma análise detalhada do trabalho na deputada no último ano. 

> PSD abre processo de expulsão da deputada federal Flordelis

Trabalho legislativo

O ritmo da produção legislativa da deputada caiu de forma acentuada de 2019 para 2020. Enquanto no ano passado foram mais de 120 proposições, neste ano foram apenas 13. Entre as propostas apresentadas estão sugestões para dar nomes de personalidades às salas  de comissões da Câmara e algumas ações relacionadas à pandemia de covid-19, como a suspensão da realização de concursos públicos, da cobrança de multas de trânsito e de juros do cheque especial enquanto durar a pandemia. 

A deputada também propôs que, a partir de um estudo de cores, seja proibido o uso de cores atraentes em caixas de cigarros, como forma de desestimular o consumo do produto. 

Discursos

Além de apresentar menos propostas, a deputada também falou menos ao plenário. Foram nove discursos em 2019 e 3 em 2020:

  1. Congratulações aos Deputados Roberto de Lucena e Daniela do Waguinho pela votação do Projeto de Lei nº 6.215, de 2013, sobre a designação de 13 de março como o Dia Nacional de Luta contra a Endometriose e a promoção da Semana Nacional de Educação Preventiva e de Enfrentamento à Endometriose.
  2. Importância da criação, pela Casa, de Comissão Especial destinada à verificação de denúncias de violência obstétrica e do elevado índice de mortalidade materna no País.
  3. Elogio ao Deputado Osmar Terra pelo trabalho desenvolvido no Ministério da Cidadania. Saudações ao novo titular da Pasta, Ministro Onyx Lorenzoni.

Gastos

Os gastos de recursos da cota parlamentar de Flordelis também caíram na comparação de 2019 com 2020. No ano passado, em média, a deputada gastou R$ 35 mil mensais, neste ano foram R$ 26 mil por mês. 

Desde que tomou posse, a deputada já gastou mais de R$ 439 mil com gastos do gabinete. Desse total, a maior parte, 29%, foi destinada à rubrica manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar. O segundo maior gasto, 25%, foi com divulgação do mandato.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!