Relatora da prisão de Daniel Silveira foi cotada para ser vice de Bolsonaro

Escolhida na manhã desta sexta-feira (19) pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a deputada Magda Mofatto (PL-GO) será a relatora do parecer sobre a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ).

O parlamentar foi preso em flagrante após publicar um vídeo atacando ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo o fechamento da corte e fazendo apologia ao AI-5, o ato mais repressivo da ditadura militar.

Levantamento feito pelo Radar do Congresso, plataforma de dados do Congresso em Foco, mostra que a deputada Magda Mofatto votou alinhada ao governo, desde o início de 2019, em 96% das votações nominais.

Também segundo o Radar, ela é ré em quatro processos em andamento. Três deles no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) nos quais responde por  falsidade ideológica. A deputada também responde a um processo na 3ª Vara Criminal de Caldas Novas (GO) por "impedir ou dificultar a regeneração natural da flora" por construir em uma área de reserva ambiental.

Em 2018, em entrevista ao portal Diário do Goiás, a deputada declarou ter sido cotada para ser vice na chapa de Bolsonaro durante as eleições para a Presidência da República. De acordo com ela, a conversa surgiu no antigo partido ao qual ela pertencia, o PR. Na época, ela acompanhou Bolsonaro em uma viagem a Rio Verde (GO), quando o então pré-candidato cumpria agenda no estado.

Com o patrimônio declarado de R$ 21 milhões de reais, ela é a deputada mais rica do Congresso Nacional. Sua pauta principal é o Estatuto do Desarmamento. De acordo com reportagem da revista Época, Mofatto se destacava por ser a única mulher nas reuniões para angariar apoio dos partidos a candidatura de Bolsonaro ao Planalto em 2018.

Empresária do ramo do turismo em Goiás, a deputada costuma relatar projetos com relação ao setor e ao agronegócio na Câmara.

Nas redes sociais, Magda Mofatto posa ao lado do presidente Bolsonaro e de um de seus filhos, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ). Além deles, fotos portando armas e de apoio ao exército brasileiro também são comuns.

A escolha da deputada para a relatoria do caso foi recebida com surpresa pelos congressistas. O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) chegou a ser anunciado como relator nesta quinta (18).

No Twitter, a deputada disse que o motivo de ter sido escolhida para relatar o caso é o seu perfil "independente e sério". O Congresso em Foco apurou que o parecer dela deve ser pela manutenção da prisão de Daniel Silveira. 

> Relatora deve recomendar manutenção da prisão de Silveira 

Continuar lendo