PSL decide suspender cinco deputados, dizem líderes

Os líderes do PSL no Senado e na Câmara, deputado delegado Waldir (GO) e senador major Olímpio (SP), respectivamente, disseram nesta sexta-feira (18) que cinco parlamentares do partido serão suspensos. São eles: Carla Zambelli (SP), Filipe Barros (PR), Bibo Nunes (RS), Alê Silva (MG) e Carlos Jordy (RJ).

> Suspensão de parlamentares causa desentendimento no fim da reunião do PSL

"Na verdade essa suspensão tem um processo tramitando. Existe vasto material probatório de ataque que eles fazem ao partido, a parlamentares do partido e ao presidente Bivar", disse Waldir. Segundo ele, com a suspensão, os parlamentares perdem o direito de se manifestar em plenário, de colocar nome em listas e de escolher o líder do partido.

A informação foi dada na saída de uma reunião do diretório do partido nesta manhã em Brasília.

Todos os cinco deputados mencionados pelos líderes assinaram a lista que pedia Eduardo Bolsonaro (SP) como líder do partido na Câmara, substituindo Waldir. De acordo com o delegado, os parlamentares têm direito de resposta, mas a suspensão começa "imediatamente".

Para Carla Zambelli, a suspensão tem como objetivo invalidar a lista que colhe assinaturas para eleger um novo líder do partido na Câmara.

Ela defende que a atitude é “uma demonstração da falta de democracia na legenda". "Querem praticamente cassar nosso mandato, uma vez que as comissões são uma parte importantíssima do nosso trabalho”, disse.

> “Nem com a ajuda do pai conseguiu a maioria”, diz Joice sobre Eduardo

> Olimpio sugere embaixada aos filhos de Bolsonaro para presidente ter “sossego”

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!