Presidente do BC tenta convencer senadores a aprovarem orçamento de guerra

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de videoconferência nesta quinta-feira (9) com os senadores. Ele tenta convencer os parlamentares que resistem à chamada PEC do orçamento de guerra. O texto, aprovado semana passada pela Câmara, tem sido contestado no Senado. A PEC separa R$ 700 bilhões do orçamento para ações de combate ao coronavírus.

> Congresso trabalha, mas é visto pelo povo como inimigo, diz Simone Tebet

Parlamentares como Simone Tebet (MDB-MS) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) argumentam que não é possível votar mudança na Constituição durante o estado de calamidade pública. Além disso, invocam que a proposta é desnecessária porque o Congresso desobrigou o governo de cumprir a meta fiscal deste ano ao aprovar o decreto de calamidade pública.

Também há questionamentos sobre o mérito. Uma das principais polêmicas é a autorização para o Banco Central comprar títulos privados, como debêntures, carteiras de créditos e certificados de depósitos bancários (CDBs), o que não é permitido hoje. Os críticos da mudança alegam que, em vez de aumentar a liquidez de empresas, como defende o governo, a medida pode deixar o Tesouro Nacional exposto a papéis com alto risco de inadimplência.

> Últimas notícias sobre a pandemia de covid-19 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!