PDT defende apoio a Pacheco, mas antes quer ouvir partidos de oposição

A bancada do PDT no Senado, com três integrantes, defende o apoio ao senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para presidente da Casa. No entanto, antes da decisão ser confirmada, os senadores tentam chegar a um acordo com Cidadania (3 senadores), PSB (1) e Rede (2). Os quatro partidos formam um bloco no Senado.

O vice-líder do Cidadania, Alessandro Vieira (SE), disse ao Congresso em Foco que o partido apoia a candidatura de Simone Tebet (MDB-MS). A emedebista espera confirmar nesta semana o apoio do Podemos (9 senadores) e PSDB (7), o que totalizaria, desconsiderando traições, um bloco de 34 votos.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

>MDB escolhe Simone Tebet para disputar presidência do Senado

O senador Cid Gomes (PDT-CE) confirmou que há preferência do PDT por Pacheco, mas que isso ainda vai ser debatido com as outras siglas. "Priorizamos que a decisão seja de bloco apesar das nossas preferências", disse ao site.

Rodrigo Pacheco é apadrinhado pelo atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e tem o endosso do presidente Jair Bolsonaro.

O senador do PDT do Ceará disse que associar Pacheco com Bolsonaro é "forçação de barra" e que ele tem o perfil tão independente do governo quanto Simone Tebet.

O grupo que apoia Pacheco tem no momento sete partidos (DEM, PSD, PT, Republicanos, Pros, PL e PSC) e há a expectativa de que o PP anuncie apoio ao mineiro nesta quarta-feira (13), o que faria o  senador do DEM ter 38 votos, faltando apenas três para chegar ao número necessário para ser eleito se desconsideradas as traições.

>“Acho estranho, mas respeito”, diz Braga sobre PT e Bolsonaro juntos no Senado

>PP deve anunciar apoio a Rodrigo Pacheco nesta quarta

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!