PDT é o nono partido da aliança de Rodrigo Pacheco no Senado

A bancada do PDT no Senado, com três integrantes, anunciou nesta quinta-feira (14) o apoio ao senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para presidente da Casa. O senador Cid Gomes (PDT-CE) já havia dito ontem (13) ao Congresso em Foco que há preferência do PDT por Pacheco. Os pedetistas são a nona bancada a declarar voto no senador. Também já fizeram isso o DEM, PSD, PP, PT, Pros, Republicanos e PSC.

O mineiro é apadrinhado pelo atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e tem o endosso do presidente Jair Bolsonaro. Com o apoio do PDT, se desconsideradas as traições, o bloco do líder do DEM tem os 41 votos necessários para ser eleito. Além disso, o senador  também tem o endosso de quatro senadores do PSDB e dois do Podemos.

Dentro do bloco de Pacheco, uma divergência já confirmada é o do senador Esperidião Amin (PP-SC), que mesmo com o partido apoiando o líder do DEM, ele apoia Simone Tebet (MDB-MS).

>Saiba quais comissões estão em jogo no apoio de PP, PSD e PT a Pacheco

> PSDB libera senadores para votarem em Simone ou Pacheco

Leia a íntegra da nota do partido:

O PDT defende o diálogo, o bom senso e a união para enfrentarmos e vencermos a crise econômica, sanitária, social e política que tem se abatido sobre o Brasil, mas se manterá em posição de independência e oposição responsável ao governo federal.

Em todas as conversas com Rodrigo Pacheco, o PDT do Senado deixou claro que não abre mão da defesa de temas que considera fundamentais e sempre fizeram parte de sua história de luta, como a manutenção do estado democrático de direito e os ideais trabalhistas.

Também cobrou a proteção à educação e saúde públicas de qualidade e o respeito aos direitos das minorias, com igualdade de oportunidades entre todos, independente do gênero, raça, credo ou origem, e a proteção dos mais vulneráveis.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!