Pacheco diz que não transformará prisão de deputado em “crise institucional”

Nesta quarta-feira (17), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que não elevará o caso do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), preso em flagrante nesta terça-feira (16), a uma crise institucional.

Segundo o senador,  a Câmara está "acima do ato de um parlamenta, o Supremo Tribunal Federal (STF) - que manteve a prisão do deputado - está acima de "uma decisão específica", e o "Estado Democrático de Direito [está] acima de todos".

"O caso do deputado Daniel Silveira deve ser resolvido com procedimentos próprios das duas instituições e à luz da Constituição e da Lei", afirmou Pacheco em série de postagens no Twitter.

A prisão foi determinada após o deputado publicar vídeo contra os ministros da corte e a favor do AI-5.

Pacheco reconheceu que "atentar contra a Democracia e suas instituições é gravíssimo, sujeito ao crivo ético e judicial". Mas, preferiu fazer uma ponderação sobre a prisão do congressista: "Por outro lado, prender ou manter preso alguém antes do julgamento deve continuar a ser tratado como grave exceção".

Ele afirmou, também, que esse episódio não pode tirar o foco das prioridades do Brasil que, segundo o parlamentar são: ": vacina, auxílio e reformas".  O pronunciamento foi feito por meio da sua conta no Twitter.

>Abraham Weintraub parabenizou Daniel Silveira por ataques ao STF

Thaís Rodrigues é repórter do Programa de Diversidade nas Redações realizado pela Énois - Laboratório de Jornalismo, com o apoio do Google News Initiative.

Continuar lendo