Oposição pede a Lira e Pacheco luto de sete dias por 500 mil mortos

Partidos da oposição encaminharam um pedido aos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pedindo a declaração de luto oficial por sete dias no Congresso por causa das 500 mil mortes causadas pela covid-19 no país.

Os ofícios levam assinatura do líder da Minoria na Câmara, Marcelo Freixo (Psol-RJ), da oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), e ainda pelo PT, PCdoB, PDT, PSB, Psol e Rede.

"É trágico e inaceitável a marca de meio milhão de brasileiros e brasileiras mortos pela pandemia de coronavírus! A declaração de luto oficial é uma forma de a Casa do Povo honrar a memória desses compatriotas que partiram", diz o documento.

"Não os esqueceremos", continuam. "E não esqueceremos jamais as razões que nos levaram a essa dramática situação. Não são números. Cada um ou cada uma que se foi era o amor de alguém.
Um filho, uma mãe, um avô, uma irmã. Não são mortes acidentais e inevitáveis. Imensa parte
dessas mortes são fruto do negacionismo, da ignorância, da irresponsabilidade, da corrupção,
da necropolítica do Governo Bolsonaro", dizem.

Para a oposição o luto oficial significa "um gesto simbólico muito importante no atual momento que vivemos".

 

Ontem (19), os presidentes das Casas se manifestaram pelas redes sociais e lamentaram as 500 mil mortes.

"Meus sinceros sentimentos às 500 mil famílias brasileiras que perderam alguém para a covid 19. Uma enorme tristeza nacional. Vamos manter o foco na prevenção e na vacina para todos", disse Pacheco.

Já Lira, afirmou que o dia era de dor. "Cada vida que se vai é uma dor. Amanhã também será um dia de dor. Enquanto todos não estiverem vacinados, com a pandemia sob controle, teremos dias de dor."

Parte dos senadores da CPI da Covid também se manifestou por um duro comunicado. Dizendo que os responsáveis pela omissão na pandemia pagarão.

> “Com Bolsonaro, a tragédia estava anunciada”, diz PSDB sobre 500 mil mortes 

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo