Maia diz que Congresso está à disposição, mas cobra ações do governo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a cobrar nesta segunda-feira (9) ação do governo para a agenda de combate à crise.

> Mercado vive dia de pânico com coronavírus e baixa no preço do petróleo

Segundo Maia, as reformas não são o único ponto para solucionar os danos da crise e o governo deve ter outras propostas de curto prazo que devem ser apresentadas nos próximos dias. "Eu preciso que esse encaminhamento seja coordenado pelo Poder Executivo, pelo presidente da República e pelo ministro da Economia", disse Maia ao participar do Encontro Anual Educação Já, em Brasília

"Acho que o governo precisa comandar esse processo, deixar claro para todos os atores da sociedade, para os outros dois poderes o que que ele pensa sobre a crise e de que forma a gente pode ajudar", disse.

No final de semana, o presidente da Câmara afirmou em uma rede social que o cenário internacional exige seriedade e diálogo das lideranças do país e disse que o Congresso está pronto para avançar com as reformas necessárias capazes de restabelecer a confiança.

Reformas tributária e administrativa

Sobre a reforma tributária, Maia disse que "longo atraso" do governo em enviar sua proposta não vai causar prejuízo e o texto deve avançar até maio. No caso da administrativa, ele admitiu que vai ter atraso, porque a proposta precisa passar antes pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Semana começa sob forte tensão entre Bolsonaro e Congresso. Veja a agenda

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!