Lula deve refazer vida pessoal antes de voltar à política, defende Paulo Teixeira

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) afirmou nesta quinta-feira (7), após o julgamento do Supremo Tribunal Federal sobre prisão em segunda instância, que o ex-presidente Lula deve primeiro “refazer” sua vida pessoal para, depois, começar a militância política.

> Quem gosta de unanimidade é ditadura, afirma Cármen Lúcia

“A pessoa ficar presa 600 dias não é um fato corriqueiro na vida de qualquer pessoa. Ele tem família, ele tem parentes, ele tem a vida pessoal que tá toda desorganizada com esse fato”, explicou.

“Evidentemente, quando ele já se sentir organizando a vida pessoal, organizando todos os aspectos da vida dele, certamente nós vamos pedir a ele conversas políticas e, um pouco mais pra frente, atividades políticas propriamente ditas”, completou.

Ontem, após quatro dias de julgamento, o Supremo decidiu que contra a prisão em segunda instância, o que beneficia condenados da operação Lava Jato, como o ex-presidente, que pode sair da prisão a qualquer momento.

Teixeira afirmou que a expectativa é que Lula seja liberado nos próximos dias. “Nós estamos já, praticamente, na sexta-feira, e se o juiz ou juíza quiser processar na sexta-feira, será possível fazê-lo, ou no começo da semana que vem. Portanto, eu acho que o presidente Lula deve ter sua liberdade garantida já imediatamente”, disse.

De acordo com o deputado, a ideia é fazer uma recepção para Lula em São Paulo. “Eu acho que seria o mais importante possível que ele fosse recebido por quem tanto gosta dele”, explicou.

Congresso Nacional do PT

O deputado paulista lembrou que entre 22 e 24 de novembro ocorre o Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores e a expectativa é que o ex-presidente participe. “Certamente, ele vai participar e vai ter o Lula lá”, brincou, em referência ao jingle de campanha presidencial do petista.

Ele afirmou, no entanto, que não acredita que Lula almeje o cargo de presidente do partido, que deve continuar nas mãos de Gleisi Hoffmann (PT-RS), aliada  do ex-presidente. “Presidente eu não creio que ele queira”, disse.

> Senadores pedem a Toffoli manutenção da prisão em segunda instância

Campanha do Congresso em Foco no Catarse
Lulapaulo teixeiraprisão em segunda instanciaPTSTF