Luis Miranda diz que áudio apresentado por Dominguetti não trata de vacina

O deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) contradisse versão apresentada à CPI da Covid nesta quinta-feira (1º) por Luiz Paulo Dominguetti, suposto representante da Davati Medical Supply no Brasil e que negociou a compra de vacinas AstraZeneca com o Ministério da Saúde.

Miranda e Dominguetti denunciaram nos últimos dias irregularidades envolvendo o Ministério da Saúde.

O parlamentar foi ouvido pela comissão na semana passada e relatou indícios de corrupção nas negociações da vacina indiana Covaxin. Já o representante comercial, ao jornal Folha de S. Paulo, afirmou que o então diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, propôs o pagamento de propina de US$ 1 por dose da vacina Astrazeneca adquirida pela pasta. O negócio não foi fechado.

Nesta quinta-feira, durante a oitiva na CPI, Dominguetti expôs um áudio no qual Luís Miranda fala em negociar produtos. De acordo com o depoente, o áudio seria sobre vacinas. Porém, de acordo com o deputado, o áudio é de 2020 e não se refere a imunizantes.

“O áudio é enviado a Rafael Alves no dia 15 de outubro de 2020 para a aquisição de luvas para a minha empresa”, esclarece o deputado, que diz possuir empresa no ramo hospitalar nos Estados Unidos.

Para o deputado, Dominguetti foi "plantado" na CPI para minar a credibilidade do depoimento de Luís Miranda e de seu irmão, Luís Ricardo, servidor de carreira do departamento de logística do Ministério da Saúde que denunciou as irregularidades na aquisição das vacinas Covaxin pela pasta.

Luís Miranda chegou à CPI durante o depoimento de Dominguetti.  “Me disseram que o chamado gabinete do ódio estava planejando um cavalo de troia para desconsiderar as minhas declarações”, disse.

O deputado saiu do Senado e foi a um cartório registrar a íntegra do áudio citado na comissão.  Segundo o parlamentar, ele apresentará ainda nesta quinta documentação para o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). “Ele [Dominguetti] é um criminoso contumaz! Se ele não sair preso daqui estará envergonhando o parlamento e a sociedade brasileira.”, afirmou.



Um novo depoimento de Luís Miranda está marcado para a próxima terça-feira (6) na comissão,  mas, o deputado disse que o colegiado avalia mudar a data a pedido dele. De acordo com ele, existem provas a ser coletadas pelo deputado que devem ser apresentadas na CPI, e para isso ele precisará de mais tempo até vir ao Senado depor. 

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo