Lira propõe acordo ao PT e adia definição da Mesa para quarta-feira

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), adiou para quarta-feira (3) a definição do restante dos cargos da Mesa Diretora da Casa. Em seu primeiro ato à frente da Casa, Lira retirou espaços que seriam ocupados pelo PT, PSDB e Rede, alegando que o bloco de Baleia Rossi (MDB-SP) havia sido registrado após o prazo limite.

Nesta terça-feira, ele ofereceu dois cargos na Mesa Diretora ao grupo aliado a Baleia. A ideia é que o PT fique com a segunda-secretaria e o PSDB fique com a quarta-secretaria. As quatro suplências da Mesa serão divididas meio a meio entre os grupos de Lira e Baleia caso o acordo seja aceito.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), disse ao Congresso em Foco que o partido não decidiu se aceita o acordo e que vai debater a proposta ainda hoje.

Com a anulação do bloco de Baleia, PT, PSDB e Rede perderiam os espaços a que tinham direito. O PT deixaria de ter a primeira-secretaria para ocupar a quarta-secretaria e o PSDB e a Rede ficariam fora da Mesa. A primeira-secretaria, que caberia ao PT caso fosse efetivado no bloco de Baleia, é um dos cargos mais importantes da Câmara porque é responsável pela gestão financeira e administrativa da Casa.

> Arthur Lira faz maratona de reuniões para tentar acordo sobre espaço do PT na Mesa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!