Líder do Centrão comemora possível indicado de Bolsonaro para o STF

O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PP-PI), comemorou nesta quarta-feira (30) a sinalização dada pelo presidente Jair Bolsonaro de que vai indicar o desembargador Kassio Nunes para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que será aberta no dia 13 de outubro.

O desembargador é do Piauí, estado natal de Ciro Nogueira. O PP tem ganhado protagonismo no Executivo e tem a liderança do governo na Câmara e o comando de secretarias de ministérios.

O senador é investigado por corrupção no chamado quadrilhão do PP. Em junho de 2019, durante julgamento que tornou o político réu no Supremo Tribunal Federal, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, disse que a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) é "típico abuso de poder".

O Congresso em Foco ouviu de um aliado do presidente do PP que a escolha do ministro não teve participação partidária e que, dado o grau de importância do cargo, Bolsonaro não iria terceirizar a decisão. No entanto, há o reconhecimento que, se for confirmada, a escolha ajuda o presidente da República no Nordeste.

A fonte ouvida pelo site também acredita que Bolsonaro já conhecia o desembargador e que o nome não foi levado a ele por terceiros. Apesar de ser do Piauí, Kássio Nunes já trabalha há quase dez anos em Brasília (DF). Ele foi indicado para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) em 2011, cuja sede fica na capital federal.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

Opositor de Bolsonaro, o governador Wellington Dias (PT-PI) compareceu em 2018 a posse do desembargador como vice-presidente do TRF-1 e tirou uma foto com ele.

"Todos nós do Piauí estamos na torcida para que se concretize a indicação do dr. Kassio Nunes como novo ministro do Supremo Tribunal Federal, que seria o primeiro piauiense em mais de 50 anos no STF", escreveu o senador no Twitter.

>Cogitado por Bolsonaro ao STF, Kassio Nunes defendeu prisão em 2ª instância

A sinalização dada por Bolsonaro é uma forma do presidente ganhar mais apoio do Nordeste. Quando assumiu o governo em janeiro de 2019, nenhum dos 22 ministros escolhidos por ele eram da Região. Hoje dois estão na Esplanada. São eles Fábio Faria (Comunicações) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), ambos do Rio Grande do Norte.

Hoje nenhum dos 11 ministros do STF é do Nordeste. "Sem dúvida, a escolha do presidente Jair Bolsonaro seria um gesto de reconhecimento da capacidade do povo do Piauí e de todo o Nordeste", disse Ciro Nogueira.

 

> Acesse de graça por 30 dias o melhor conteúdo jornalístico premium do país

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!