Jean Wyllys se desfiliará do PSOL e deve ir para o PT, indica revista

O ex-deputado Jean Wyllys deve se deixar do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e se filiar já na próxima segunda-feira (24) ao Partido dos Trabalhadores (PT). A decisão seria com foco nas eleições de 2022 e é entendida como uma estratégia para ampliar a base de apoio à candidatura de Lula à presidência da República. A informação foi dada pela 'Revista Veja' nesta quinta-feira (20) e comemorada por membros da legenda petista.

Em entrevista à revista, Wyllys  confirmou que com a adesão ao PT busca endossar a candidatura de Lula em 2022.  Atualmente ele cursa um doutorado em Barcelona e disse não ter planos de se candidatar a cargos eletivos no próximo anos.

Wyllys deixou o Brasil em 2019, após renunciar ao cargo de deputado federal. Fazia pouco tempo que ele tinha sido eleito um terceiro mandato pelo PSOL do Rio de Janeiro. O motivo seriam as constantes ameaças contra o então parlamentar, um dos mais destacados na bancada de direitos humanos e direitos LGBTQIA+. A fuga dele do país ocorreu meses após a morte da vereadora no Rio de Janeiro Marielle Franco, também do PSOL.

O deputado foi substituído na Câmara por David Miranda (PSOL-RJ)

A revista ainda conta que a festa de filiação de Jean Wyllys vai ocorrer de maneira totalmente virtual e contará com a presença dos ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula, além da presidente nacional do partido, a deputada Gleisi Hoffmann (PR). Anielle Franco, irmã de Marielle, e Ada Colau, a prefeita de Barcelona, também são aguardadas na cerimônia.

Pelo Twitter, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) comemorou a filiação:


> Reforma tributária exige cautela e ousadia, diz Pacheco a empresários
> Bolsonaro estava em reunião que negou oxigênio a Manaus, admite Pazuello

Continuar lendo