Governo quer que privatização da Eletrobras comece pelo Senado

O governo federal mudou a estratégia de aprovação do projeto de privatização da Eletrobras. A ideia agora é que a tramitação da iniciativa passe a começar pelo Senado Federal. O senador Eduardo Braga (AM), líder do MDB e ex-ministro de Minas e Energia, esteve na segunda-feira (24) com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e o de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

> Maia avalia que privatização da Eletrobras em 2020 é difícil

> Governo quer estatal de R$ 4 bi para resto não privatizado da Eletrobras

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

O líder do MDB disse ao Congresso em Foco que a ideia ainda precisa ser negociada com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Regimentalmente, um projeto de autoria do governo precisa começar pela Câmara, mas o Executivo pode conversar com senadores aliados para que um texto com ideias do governo seja adotado por um congressista.

O governo enviou no final de 2019 um projeto de privatização da estatal para a Câmara, mas a matéria está parada. A resistência no Congresso é principalmente no Senado, da bancada do Norte.

Braga, que foi governador do Amazonas, tem atuado como intermediário e negociado com o governo alterações no projeto. As principais reivindicações são a manutenção da golden share por parte do governo, ou seja de uma ação minoritária que dá direito a veto, e criação de fundo para o Norte, onde estão concentradas as principais hidrelétricas do país.

> Para privatizar, Guedes terá de convencer o Congresso, diz líder do governo

> As últimas notícias da pandemia de covid-19

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!