Fernando Bezerra se esquiva de acusações e compara CPI a Lava Jato

Após ser indiciado por corrupção pela Polícia Federal, o líder do governo senador Fernando Bezerra (MDB-PE) tentou se defender das acusações durante a comissão de inquérito desta terça (8). Bezerra pediu para que a CPI não cometa os "mesmos excessos e erros" que foram vistos durante a Operação Lava Jato.

O senador comparou a operação com a investigação que apura as decisões tomadas pelo Governo Federal durante a pandemia. “Sofri no âmbito da Lava Jato acusações que não se sustentaram, inquéritos cujos arquivamentos foram determinados pelo Supremo ou pela Justiça Eleitoral ante o reconhecimento de que as provas não eram suficientes para justificar, nem sequer, o início de uma ação penal contra mim”, disse.

De acordo com o senador, a fala dele era para que a CPI não seguisse os mesmos passos "duvidosos das preferências do julgador em detrimento dos fatos". "Não se renda aos abusos movidos pelo belo capricho e satisfação pessoal”, completou.

Fernando Bezerra foi indiciado pela Polícia Federal (PF) na tarde desta terça-feira (8).

No laudo apresentado pela PF, o senador e o filho dele, o deputado Fernando Bezerra Coelho Filho (DEM-PE), teriam recebido R$ 10,4 milhões de empreiteiras enquanto era ministro de Integração Nacional da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Também pesa contra ele suspeita de crimes de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e falsidade ideológica eleitoral.

> Governistas preparam relatório paralelo da CPI da Covid

Continuar lendo