“Superemendas” de relator favoreceram caciques, aponta jornal

Líderes partidários e figuras da cúpula da Câmara e do Senado foram privilegiados com aportes de emendas parlamentares maiores que as destinadas aos demais deputados e senadores em 2020. Levantamento feito pelo jornal O Globo mostra que as chamadas "emendas de relator" ajudaram a aumentar o bolo para locais específicos, de interesse direto de um grupo restrito de congressistas.

Essas indicações foram determinadas pelo relator do Orçamento, Domingos Neto (PSD-CE). Por meio delas, segundo o jornal, Davi Alcolumbre (DEM-AP) encaminhou R$ 123 milhões a Santana (AP); Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) separou R$ 86 milhões para Petrolina (PE), onde seu filho governa; e o próprio Domingos Neto destinou mais de R$ 140 milhões a Tauá (CE), município administrado por sua mãe, Patrícia Aguiar.

A reportagem também aponta que Baleia Rossi (MDB-SP) e Arthur Lira (PP-AL) tiveram acesso a emendas, mas distribuíram o valor entre si e outros aliados.


> Dissidência entre aliados de Baleia embaralha eleição na Câmara
> Parlamentares pró-cloroquina agora tentam colar imagem de Bolsonaro à vacina

Continuar lendo