Emenda inclui juízes e militares na reforma administrativa

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) corre atrás de 19 assinaturas para apresentar emenda à reforma administrativa para incluir magistrados, integrantes do Ministério Público e do Legislativo e militares. Em discurso na comissão especial que analisará o mérito da proposta, Kim defendeu que a reforma comece pelo topo.

“Reforma administrativa tem de ser principalmente para acabar com essa estrutura perversa do Estado brasileiro que saqueia pobre para dar para o rico”, afirmou. “A reforma precisa começar pelo topo. Senão, é rasteira no funcionalismo público”, acrescentou.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Insider, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

A apresentação de uma emenda precisa do apoio de ao menos 171 deputados. Kim tem 152 assinaturas até o momento.

Kim destacou que mais de 8 mil juízes brasileiros recebem mais de R$ 100 mil por mês e que a reforma permite que cargos técnicos sejam ocupados por servidores não concursados. “Isso é abrir margem para um cabidão de emprego”, afirmou.

“É preciso incluir todos dentro da reforma, militares, Legislativo. Não podemos aceitar o corporativismo por parte do presidente da República. Não podemos permitir, por mais que eu seja a favor de uma reestrutura completa do Estado brasileiro, que, como a PEC determina, se abra cargo comissionado até para função técnica”, criticou.

>> Comissão da reforma administrativa é instalada com promessa de diálogo amplo

Continuar lendo