Em Brasília pode ir para o bar, mas não pode reunir comissão na Câmara, diz deputado

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM) desabafou nesta quarta-feira (18) sobre a paralisia na Câmara. Marcelo tem viajado todas as semanas de Manaus para Brasília na expectativa de votar. Com exceção do dia 27, quando aprovou indicações para os conselhos do Ministério Público e da Justiça, os deputados não votam desde 29 de setembro.

Deputado Marcelo Ramos. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

O principal motivo é a obstrução feita pelo Centrão na disputa pelo comando da Comissão Mista de Orçamento. Por trás disso, no entanto, está a disputa pela presidência da Câmara entre os grupos do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do líder do PP, Arthur Lira (AL).

"O Brasil está refém dessa guerrinha no Parlamento. É como se as pessoas não existissem. O Parlamento se justifica por si mesmo. Essa obstrução está atrelada à eleição da Mesa. Não se instala a Comissão de Orçamento por causa da eleição da Mesa, não se vota nada por causa da eleição da Mesa", disse o deputado ao Congresso em Foco Premium.

Em um tweet, o deputado resumiu suas críticas.

"Não é só a base do governo. Tem de se chegar a um acordo. Os dois lados estão esticando a corda. Essa disputa na CMO é uma briga do Artur com o Rodrigo, é uma confusão generalizada", diz. Embora seja do PL, partido que faz parte do Centrão, Marcelo Ramos não se alinha ao bloco e tem postura de independência em relação ao governo. Se a obstrução for mantida, a Câmara deixará de votar o PL da BR do Mar, novo marco regulatório do transporte marítimo. Ainda não há uma definição sobre o assunto e as negociações coninuam.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!